Empresas poderão assinar faturas eletrónicas com cartão do cidadão ou Chave Móvel digital

  • Lusa
  • 29 Dezembro 2020

A partir de 1 de janeiro, as empresas poderão recorrer ao Cartão de Cidadão e Chave Móvel Digital para assinar faturas eletrónicas.

As condições de utilização do Sistema de Certificação de Atributos Profissionais (SCAP), através do Cartão de Cidadão e da Chave Móvel Digital, foram publicadas esta terça-feira em Diário da República e vai permitir às empresas assinar faturas eletrónicas.

Numa nota, o Ministério da Justiça refere que, a partir de 1 de janeiro do próximo ano, a emissão de faturas eletrónicas necessita de uma assinatura eletrónica qualificada, que agora é disponibilizada através da associação dos atributos empresariais ao cartão de cidadão ou à Chave Móvel Digital.

Este sistema vai permitir a assinatura de faturas eletrónicas pelos administradores, gerentes, diretores e procuradores das empresas, após serem certificados dessa sua qualidade, sendo vocacionada para atos isolados ou para atividades com baixo volume de faturas emitidas.

Quem pretender fazer uso desta solução, deve aderir ao SCAP, disponível no sítio na internet autenticação.gov.pt.

A assinatura qualificada com certificação da qualidade de administrador, gerente, diretor e procurador poderá ser utilizada para abertura e movimentação de contas bancárias, celebração de contratos de eletricidade, água, gás e serviços de telecomunicações ou com outros fornecedores, com o limite a fixar pelos órgãos sociais.

Esta nova ferramenta pode ainda ser usada para a celebração de contratos de trabalho, assinatura de atas e deliberações dos órgãos sociais, receção e levantamento de correspondência postal, assinatura de faturas eletrónicas, formação e execução de contratos públicos, apresentação de candidaturas a financiamentos e ainda para candidaturas a fundos nacionais ou comunitários.

O jornalismo continua por aqui. Contribua

Sem informação não há economia. É o acesso às notícias que permite a decisão informada dos agentes económicos, das empresas, das famílias, dos particulares. E isso só pode ser garantido com uma comunicação social independente e que escrutina as decisões dos poderes. De todos os poderes, o político, o económico, o social, o Governo, a administração pública, os reguladores, as empresas, e os poderes que se escondem e têm também muita influência no que se decide.

O país vai entrar outra vez num confinamento geral que pode significar menos informação, mais opacidade, menos transparência, tudo debaixo do argumento do estado de emergência e da pandemia. Mas ao mesmo tempo é o momento em que os decisores precisam de fazer escolhas num quadro de incerteza.

Aqui, no ECO, vamos continuar 'desconfinados'. Com todos os cuidados, claro, mas a cumprir a nossa função, e missão. A informar os empresários e gestores, os micro-empresários, os gerentes e trabalhadores independentes, os trabalhadores do setor privado e os funcionários públicos, os estudantes e empreendedores. A informar todos os que são nossos leitores e os que ainda não são. Mas vão ser.

Em breve, o ECO vai avançar com uma campanha de subscrições Premium, para aceder a todas as notícias, opinião, entrevistas, reportagens, especiais e as newsletters disponíveis apenas para assinantes. Queremos contar consigo como assinante, é também um apoio ao jornalismo económico independente.

Queremos viver do investimento dos nossos leitores, não de subsídios do Estado. Enquanto não tem a possibilidade de assinar o ECO, faça a sua contribuição.

De que forma pode contribuir? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

Obrigado,

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Empresas poderão assinar faturas eletrónicas com cartão do cidadão ou Chave Móvel digital

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião