42% dos portugueses dispostos a “pagar o preço” de salvar a TAP

  • ECO
  • 31 Dezembro 2020

Mais de 40% dos portugueses preferem salvar a TAP com recurso a dinheiro públicos a deixar a transportadora falir, indica sondagem da Aximage.

Deixar falir a TAP ou salvar a transportadora aérea nacional? Grande parte dos portugueses (42%) inclina-se para a segunda opção, com todos os custos que lhe estão associados. Ainda assim, 37% preferiam ver a transportadora deixar de voar, evitando injeção de dinheiro público, de acordo com uma sondagem feita pela Aximage para o Diário de Notícias, Jornal de Notícias e TSF.

Na resposta à referida pergunta, há uma clara divisão geracional entre as faixas etárias mais jovens e as mais velhas. As mais novas optariam pela falência da TAP, enquanto as mais velhas estão mais dispostas a “pagar o preço” da sobrevivência da empresa em questão, com o recurso anunciado a dinheiros públicos.

É importante analisar os dados recolhidos pela Aximage também a nível regional. No Norte, prevalece o desinteresse pela “salvação” da TAP, com 44% dos portugueses dessa região a preferir a falência a uma injeção de dinheiros públicos. Quanto à aprovação do plano de reestruturação apenas pelo Governo (sem passar pelo crivo do Parlamento), 49% dos inquiridos em todo o país consideram estar em causa uma má decisão e só 34% concorda com essa escolha.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

42% dos portugueses dispostos a “pagar o preço” de salvar a TAP

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião