Um em cada 5 portugueses não tem dinheiro para aquecer a casa

Depois da Bulgária, Lituânia e Chipre, Portugal é o 4º país da UE onde há menos dinheiro para aquecer a casa. Quase 20% das pessoas não consegue pagar fatuira de energia para ter casa quente.

De acordo com dados revelados esta quarta-feira pelo Eurostat, num dia em que as temperaturas mais baixas se fazem sentir em força na Península Ibérica, e por toda a Europa, quase 20% dos portugueses revelaram num inquérito não ter como pagar a fatura de energia (eletricidade ou gás) para aquecer a casa nos meses de inverno.

Numa pesquisa realizada em toda a União Europeia e relativa ainda a 2019, 6,9% da população europeia disse não ter dinheiro para aquecer suas casas o suficiente. Essa percentagem atingiu o seu valor máximo em 2012 (10,8%), e tem caído sempre desde aí. Os números do Eurostat mostram que a situação varia, de país para país.

Bulgária (30,1%), Lituânia (26,7%), Chipre (21,0%), Portugal (18,9%), Grécia (17,9%) %) e Itália (11,1%) são os países (mais a sul, exceto a Lituânia) onde mais pessoas disseram não ter dinheiro suficiente para manter a casa adequadamente aquecida.

Em contraste, as percentagens mais baixas (cerca de apenas 2% da população) foram registadas nos países mais norte, como a Finlândia, Áustria, Suécia, Eslovénia, Luxemburgo, Estónia e Alemanha.

O Eurostat sublinha que este inquérito mostra a situação antes do início da pandemia COVID-19, o que pode afetar os dados de 2020 a serem publicados no próximo ano.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Um em cada 5 portugueses não tem dinheiro para aquecer a casa

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião