Frio e baixas temperaturas quase triplicam procura por aquecedores

O frio está a gerar uma corrida aos aquecedores em Portugal. O aumento da procura chega a ser de quase o triplo do ano passado e abrange também os desumidificadores.

As baixas temperaturas e o frio que se tem feito sentir estão a resultar numa corrida dos portugueses aos aquecedores. O aumento súbito da procura por estes equipamentos está a ser sentido por algumas das principais retalhistas nacionais e alguns stocks chegam a estar à beira da rutura.

A Worten é uma das cadeias que tem sentido esse aumento, que começou ainda durante o mês de dezembro. “Com a descida generalizada das temperaturas em todo o país, nas últimas semanas dispararam as vendas de aquecedores”, admite fonte oficial da empresa.

Segundo a marca, “entre 24 de dezembro e 4 de janeiro, as vendas de aquecedores quase triplicaram face ao período homólogo”, um sinal do tempo mais frio que se tem feito sentir, com temperaturas a rondar os zero graus.

Ainda assim, apesar da maior procura por estes produtos, a Worten garante que há aquecedores para todos os portugueses que os pretendam adquirir. “O stock necessário para responder às necessidades dos consumidores portugueses está garantido”, assegura a mesma fonte.

Na porta ao lado, a Fnac também nota um aumento pela procura de aquecedores, mas não só. “Além de equipamentos de aquecimento, existe também muita procura por equipamentos de tratamento do ar, nomeadamente, desumidificadores e purificadores de ar”, diz ao ECO fonte oficial da cadeia de retalho.

A marca justifica que “a procura por estes equipamentos aumentou bastante em relação ao ano anterior, sobretudo por estarmos a passar por um inverno mais rigoroso e com temperaturas mais baixas”. Contas feitas, face ao período homólogo, o volume de vendas de aquecedores neste início de ano “cresceu cerca de 140% e os de tratamento de ar 170%”. Ou seja, bem mais do que duplicaram em ambos os casos.

“Em relação aos produtos mais procurados, por ordem de vendas, destacam-se: termoventiladores, aquecedores cerâmicos, convectores e radiadores a óleo”, acrescenta a Fnac.

Além destas marcas, também o Auchan tem sentido um aumento expressivo na procura por aquecedores. Só “nestes primeiros dias de janeiro, houve um ganho de clientes neste segmento de 150% face ao período homólogo”, aponta fonte oficial da empresa.

No caso do Auchan, as vendas destes produtos “subiram 120% face ao período homólogo”, sendo os crescimentos mais notáveis nas vendas os dos aquecedores cerâmicos, seguindo-se os irradiadores a óleo” e, depois, os “aquecedores elétricos”.

Esta vaga de frio tem vindo a fazer-se sentir em todo o país. Segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera, grande parte país está em alerta amarelo por causa das temperaturas reduzidas e, em algumas partes do país, preveem-se temperaturas mínimas a rondarem os seis graus negativos. A próxima semana deverá trazer ainda mais frio.

O ECO contactou também a Radio Popular, a MediaMarkt e o Lidl Portugal. Não foi possível obter respostas a tempo de publicação desta notícia.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Frio e baixas temperaturas quase triplicam procura por aquecedores

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião