China Three Gorges vende bloco de 100 milhões de ações da EDP por 526 milhões de euros

Preço final será conhecido apenas no fim da operação, que a empresa espera que decorra esta sexta-feira antes da abertura do mercado. A 5,265 euros por ação, a venda é feita com desconto de 2,4%.

O maior acionista da EDP, a China Three Gorges, está no mercado a vender um bloco de ações da elétrica portuguesa. Em causa estão 100 milhões de ações, representativas de 2,52% do capital da EDP e, de acordo com informações a que a Bloomberg teve acesso, preço indicativo é de 5,265 euros por ação. A concretizar-se representa um valor total do negócio de 526 milhões de euros.

A empresa estatal chinesa “irá proceder ao lançamento de uma oferta particular das ações através de um processo de accelerated bookbuild dirigido exclusivamente a investidores institucionais qualificados“, confirmou em comunicado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários. O Credit Suisse e o BNP Paribas atuam como jointbookrunners.

O preço final será conhecido apenas no fim da operação, que a empresa espera que decorra esta sexta-feira antes da abertura do mercado. A confirmarem-se os 5,265 euros por ação, o montante representa um desconto de 2,4% face ao valor de fecho das ações da EDP nesta sessão em bolsa.

A CTG detém atualmente 21,55% do capital da EDP, pelo que deverá passar para 19%, continuando ainda assim como maior acionista. Quando estiver finalizada, o acionista fica impedido de vender mais ações durante quatro meses. “Após a colocação, a CTG manterá 754.740.000 ações da EDP, sujeitas a um lock-up de 120 dias”, diz.

“Esta transação complementará outros ajustes na posição da CTG no capital social da EDP nos últimos 12 meses”, aponta a CTG. Antes da pandemia, em fevereiro de 2019, a empresa realizou uma operação semelhante, na qual vendeu 66 milhões de ações por 292,9 milhões de euros. Depois disso, em agosto, decidiram investir 220 milhões de euros no aumento de capital da EDP para evitar a diluição da posição.

A empresa detida pelo Estado chinês reafirma o interesse na elétrica portuguesa e a confiança na nova administração liderada por Miguel Stilwell d’Andrade (que será votada numa assembleia geral de acionistas a 19 de janeiro).

“Na sequência desta transação, a CTG continuará a apoiar a parceira estratégica estabelecida entre a EDP e a CTG há mais de 9 anos, e que é um pilar fundamental da estratégia internacional da CTG”, sublinha. “A CTG reitera o seu total compromisso com esta parceria estável e duradoura, bem como com a renovada equipa de gestão da EDP e a sua estratégia focada na transição energética e na liderança nas energias renováveis a nível global”.

(Notícia atualizada às 18h30)

O jornalismo continua por aqui. Contribua

Sem informação não há economia. É o acesso às notícias que permite a decisão informada dos agentes económicos, das empresas, das famílias, dos particulares. E isso só pode ser garantido com uma comunicação social independente e que escrutina as decisões dos poderes. De todos os poderes, o político, o económico, o social, o Governo, a administração pública, os reguladores, as empresas, e os poderes que se escondem e têm também muita influência no que se decide.

O país vai entrar outra vez num confinamento geral que pode significar menos informação, mais opacidade, menos transparência, tudo debaixo do argumento do estado de emergência e da pandemia. Mas ao mesmo tempo é o momento em que os decisores precisam de fazer escolhas num quadro de incerteza.

Aqui, no ECO, vamos continuar 'desconfinados'. Com todos os cuidados, claro, mas a cumprir a nossa função, e missão. A informar os empresários e gestores, os micro-empresários, os gerentes e trabalhadores independentes, os trabalhadores do setor privado e os funcionários públicos, os estudantes e empreendedores. A informar todos os que são nossos leitores e os que ainda não são. Mas vão ser.

Em breve, o ECO vai avançar com uma campanha de subscrições Premium, para aceder a todas as notícias, opinião, entrevistas, reportagens, especiais e as newsletters disponíveis apenas para assinantes. Queremos contar consigo como assinante, é também um apoio ao jornalismo económico independente.

Queremos viver do investimento dos nossos leitores, não de subsídios do Estado. Enquanto não tem a possibilidade de assinar o ECO, faça a sua contribuição.

De que forma pode contribuir? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

Obrigado,

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

China Three Gorges vende bloco de 100 milhões de ações da EDP por 526 milhões de euros

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião