Quero apagar o WhatsApp. Quais são as alternativas?

A mudança dos termos do WhatsApp permite à plataforma partilhar os dados dos utilizadores com o Facebook. Se não quer aceitar as novas regras, experimente estas aplicações alternativas.

O WhatsApp surpreendeu os utilizadores no início deste ano ao avançar com uma alteração nos termos e condições da aplicação que possibilita a partilha de dados pessoais com o Facebook. A nova política deveria entrar em vigor no início de fevereiro, mas originou uma “fuga” para aplicações concorrentes, e o WhatsApp acabou por adiar a decisão.

Como o ECO noticiou, os cerca de dois mil milhões de utilizadores do WhatsApp foram confrontados nos últimos dias com um aviso sobre esta alteração das regras. Era solicitado que aceitassem os novos termos até 8 de fevereiro, dia a partir do qual perderão o acesso à ferramenta até que optem por aceitar o novo “contrato” de utilização.

Em concreto, segundo a Bloomberg, a novidade é que as regras preveem agora, explicitamente, a partilha de dados dos utilizadores do WhatsApp com as restantes aplicações do grupo Facebook. Ou seja, não só com a rede social Facebook, mas também com o Instagram, e mesmo que o utilizador do WhatsApp não tenha conta criada nestas duas outras redes sociais.

Desde então, os apelos a um “êxodo” da plataforma de mensagens têm sido constantes por parte daqueles que mais temem pela respetiva privacidade. Conheça as duas aplicações que mais estão a ganhar com esta tendência.

Signal

É considerada uma das aplicações de mensagens mais seguras e adeptas da privacidade. Tal como no WhatsApp, as mensagens dos utilizadores são cifradas e só podem ser lidas nos ecrãs de quem as envia ou quem as recebe.

A aplicação é gratuita e pode ser descarregada na Play Store (Android) e na App Store (iOS). É necessário um número de telemóvel para fazer o registo. A aplicação permite trocar mensagens e fazer chamadas de voz ou videochamadas, tanto individuais como em grupo.

O Signal é financiado por uma fundação homónima, criada em 2018 por Moxie Marlinspike, antigo chefe de segurança do Twitter, e por Brian Acton, que foi um dos fundadores do WhatsApp.

Pouco depois das primeiras notícias sobre a mudança dos termos e condições do WhatsApp, o Signal ganhou um adepto de peso: Elon Musk, presidente executivo da Tesla e o homem mais rico do mundo, publicou um tweet a recomendar a sua utilização.

Telegram

É outra aplicação de mensagens alternativa ao WhatsApp e que tem vindo a crescer com a recente “fuga” da plataforma do Facebook. Foi fundada por Pavel Durov, empreendedor russo ficou conhecido por ter criado a rede social russa VK.

O Telegram também é gratuito e tem funcionalidades semelhantes às do Signal. As mensagens também são cifradas para maior privacidade dos utilizadores e o aplicativo pode ser descarregado da Play Store (Android) ou App Store (iOS).

Apesar destas alternativas, a utilização destas aplicações está, contudo, condicionada à adoção das mesmas pelos seus contactos. Ou seja, se sair do WhatsApp e adotar o Signal ou o Telegram, deixará de poder comunicar com um contacto que não opte por fazer esta transição.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Quero apagar o WhatsApp. Quais são as alternativas?

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião