“Situação é de elevadíssima pressão sobre todo o sistema de saúde português”, alerta Temido

Ministra da Saúde avisa que o sistema nacional de saúde está "muito próximos do limite" dos recursos físicos e humanos e apela a que todos os cidadãos cumpram as medidas de confinamento.

A ministra da Saúde, Marta Temido, vê com “muita preocupação” o fraco cumprimento do confinamento este fim de semana em Portugal. Alerta que todo o sistema nacional de saúde está sob forte pressão e muito próximo do limite, pelo que é precisa a ajuda de todos para conter o agravamento da pandemia.

A situação é de elevadíssima pressão sobre todo o sistema de saúde português“, começou por dizer a ministra, em declarações aos jornalistas após uma visita ao Hospital Garcia de Orta, em Almada. Todo o sistema — ou seja, Serviço Nacional de Saúde, mas também operadores sociais e privados — está em “extremo sobreesforço”.

O agravamento da situação nos últimos dias levou os hospitais a perto do limite. O Garcia de Orta, por exemplo, apontava no sábado para um “cenário de pré-catástrofe”, enquanto o Hospital de Santa Maria viu a procura aumentar 70% em 15 dias gerando filas de ambulâncias com doentes à espera de entrar.

Marta Temido explicou que foram acionados acordos com os hospitais privados CUF, Lusíadas e Luz Saúde, mas não foi ainda feita nenhuma requisição civil. Apesar desse acrescento nos recursos também estes estão já quase esgotados. “Estamos a por todos os meios que existem no país a funcionar, mas há um limite. E estamos muito próximos do limite“, alertou.

No sábado, tanto o número de novos casos de Covid-19 como de mortos atingiu recordes, sendo que este domingo — apesar de estes indicadores terem recuado ligeiramente — continuaram a aumentar os internados (4.889 em todo o país), incluindo nos cuidados intensivos (um total de 647). “É um sinal de elevada preocupação”, apontou a ministra sobre o número de internados.

Como tal, a mensagem muito clara é que não podemos deixar os profissionais de saúde sozinhos. Hoje o ministério da Saúde veio [ao Hospital Garcia de Orta] fazer uma reunião de trabalho, mas também para passar uma mensagem para a população”, apelou. Os dados da mobilidade medidos pela consultora PSE mostram que no primeiro dia de confinamento obrigatório, sexta-feira, apenas 39,5% das pessoas ficaram em casa, contra 61% no primeiro dia de confinamento em março.

(Notícia atualizada às 17h20)

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

“Situação é de elevadíssima pressão sobre todo o sistema de saúde português”, alerta Temido

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião