Suspensão da vacina da AstraZeneca “não põe em causa abertura faseada” das escolas, diz ministro da Educação

Professores iam começar a ser vacinados no fim de semana com a vacina da AstraZeneca, que foi entretanto suspensa. Pausa na vacinação não trava abertura gradual das escolas, assegura ministro.

O pessoal docente e não docente ia começar a ser vacinado com a vacina da AstraZeneca a partir do fim de semana. Porém, com a suspensão desta vacina anunciada esta segunda-feira em Portugal, este processo ficou em suspenso. O ministro da Educação assegura, ainda assim, que esta pausa não vai travar a abertura gradual das escolas.

“O processo da vacinação vai ter uma pausa durante este período de reavaliação. Temos de esperar pela avaliação das autoridades para termos certezas em relação à segurança da vacinação. (…) Mas não põe em causa a abertura faseada e gradual do sistema educativo“, garantiu Tiago Brandão Rodrigues em declarações transmitidas pela RTP3 a partir de uma escola no Barreiro, onde começou a segunda fase de testagem de professores, funcionários e alunos.

Brandão Rodrigues assegurou que as medidas de segurança vão continuar a ser praticadas, independentemente da testagem ou vacina. “Se tivermos testagem melhor, se tivermos vacinação melhor. Mas todos os processos e protocolos [de segurança sanitária] estão em vigor neste momento e não podemos baixar os braços”, defendeu o ministro.

Relativamente à testagem o responsável admitiu que a segunda fase da testagem ao SARS-CoV-2 nas escolas é mais exigente, porque obriga à repetição dos testes 15 dias depois, nos concelhos com mais de 120 casos por 100 mil habitantes. “Quinze dias depois haverá novas testagens (…) nos concelhos com mais de 120 caso por 100 mil habitantes nos últimos 14 dias”, disse Tiago Brandão Rodrigues, citado pela Lusa.

“Começamos hoje o novo processo em que existe um varrimento de todo o pessoal docente e não docente, agora os jardins-de-infância e do primeiro ciclo – nas creches também vai acontecer – e depois, quando começarem a entrar os novos níveis de ensino, também se fará esse varrimento”, acrescentou.

As creches e as escolas do 1.º ciclo retomaram atividade esta segunda-feira. Depois, em abril, e de forma gradual, abrirão os restantes ciclos de ensino, desde o 2.º e 3.º ciclos (5 de abril) até ao ensino secundário e superior (19 de abril).

(Notícia atualizada às 14h00 com mais declarações do ministro)

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Suspensão da vacina da AstraZeneca “não põe em causa abertura faseada” das escolas, diz ministro da Educação

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião