BDO conclui auditoria aos créditos de Vieira no Novo Banco dentro de um mês

António Ramalho disse que BDO foi a auditora selecionada para auditar créditos da Promovalor, de Vieira, após "conflito de interesses" com outras auditoras. Trabalhos acabam dentro de 4 semanas.

A BDO foi a selecionada para fazer a auditoria aos créditos da Promovalor, o grupo económico de Luís Filipe Vieira, no Novo Banco, sendo que os trabalhos vão ficar concluídos dentro de três a quatro semanas, revelou o presidente do banco, António Ramalho, em entrevista à TVI.

“Toda a gente vai ficar contentíssima em ter a auditoria que não fomos nós que a fizemos, teve de ser a BDO, que acabou por ser a empresa que ficou de fazer a auditoria”, indicou António Ramalho, após o banco ter apresentado prejuízos de 1.329 milhões de euros em 2020.

“Julgo que estamos a três ou quatro semanas de termos essa auditoria”, acrescentou o presidente do Novo Banco.

A empresa de Luís Filipe Vieira é um dos maiores devedores do Novo Banco com uma dívida que ascendia a 760,3 milhões de euros, no final de 2018. O grupo causou à instituição uma perda de 225,1 milhões de euros entre agosto de 2014 e o final de 2018, devido tanto a imparidades como à desvalorização da dívida e dos ativos imobiliários, de acordo com o Correio da Manhã, citando a auditoria especial da Deloitte ao abrigo da lei 15/2019.

"Toda a gente vai ficar contentíssima em ter a auditoria que não fomos nós que a fizemos, teve de ser a BDO, que acabou por ser a empresa que ficou de fazer a auditoria.”

António Ramalho

Presidente do Novo Banco

No fim de 2017, o grupo chegou a acordo com o Novo Banco para a reestruturação da dívida, tendo sido transferidos os ativos para um Fundo de Investimento Alternativo Especializado da Capital Criativo, que tem Nuno Gaioso Ribeiro, ex-administrador do Benfica, como CEO.

Em setembro passado, o Fundo de Resolução pediu ao banco para acelerar a auditoria à Promovalor depois dos atrasos registados no processo.

A auditoria tem duas dimensões: uma parte aborda a concessão e recuperação dos créditos, sendo que esta análise ficou incluída na auditoria especial realizada pela Deloitte e que já foi entregue em agosto do ano passado; e uma outra recai sobre operação de reestruturação do crédito, visando “obter uma opinião sobre os seus méritos, sobre o plano de negócios do fundo que foi constituído, e sobre as expectativas de recuperabilidade associadas”.

O banco defrontou-se com questões de conflitos de interesse sobre esta segunda parte. A PwC teve de ser substituída por outra auditora pois já audita as contas do Benfica, clube presidido por Luís Filipe Vieira. A escolha acabou por recair na BDO, adiantou agora António Ramalho.

“Tivemos um problema de partes relacionadas nas auditorias, ou de conflitos de interesse. Essa auditoria estava entregue a uma auditora que está a fazer uma auditoria de grande dimensão ao banco. Obviamente não devia ser a mesma auditora, foi outra auditora”, disse o gestor.

António Ramalho lembrou que o Fundo de Resolução pede, muitas vezes, auditorias, algumas internas e algumas externas. “Raramente pede para serem externas. Nós neste caso achámos que devíamos fazer a auditoria externamente, ficávamos mais confortáveis a não ser a nossa auditoria interna a fazer a análise de um caso como este, pela notoriedade, pelas características próprias“, disse na entrevista à TVI.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

BDO conclui auditoria aos créditos de Vieira no Novo Banco dentro de um mês

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião