Prejuízos da operadora brasileira Oi crescem para 1,55 mil milhões em 2020

  • Lusa
  • 29 Março 2021

No ano passado, as receitas caíram 6,8% para 18.776 milhões de reais (2.764 milhões de euros) "em função da expressiva redução das receitas de serviços legados", refere a operadora brasileira Oi.

A operadora brasileira Oi, participada da portuguesa Pharol, viu os prejuízos aumentarem em 2020, face ao ano anterior, para 10.530 milhões de reais (1.550 milhões de euros), de acordo com informação divulgada esta segunda-feira.

Em 2019, os prejuízos da Oi tinham sido de 9.000 milhões de reais (cerca de 1.325 milhões de euros, à taxa de câmbio atual).

Mesmo impactada pela pandemia, a Oi conseguiu inverter a tendência no quarto trimestre ao registar lucros de 1.798 milhões de reais (264 milhões de euros).

No ano passado, as receitas caíram 6,8% para 18.776 milhões de reais (2.764 milhões de euros) “em função da expressiva redução das receitas de serviços legados”, refere a empresa, no comunicado dos resultados do quarto trimestre.

No último trimestre de 2020, as receitas totalizaram 4.777 milhões de euros (703 milhões de euros), menos 2,8% que em igual período de 2019, mas uma subida de 1,5% em relação aos três meses anteriores.

“No quarto trimestre, a receita líquida das operações brasileiras [Brasil] totalizou 4.720 milhões de reais [695 milhões de euros], mais 1,5% em comparação com o terceiro trimestre e menos 2,9% em relação” ao período homólogo de 2019, lê-se no comunicado.

A receita líquida das operações internacionais [África e Timor-Leste] somou 58 milhões de reais (8,5 milhões de euros), ficando estável (0,1%) face ao terceiro trimestre, mas com uma queda de 13% em termos homólogos.

“No acumulado, no ano de 2020, a receita líquida das operações brasileiras foi 7,0% inferior ao ano de 2019, enquanto a receita líquida das operações internacionais cresceu 17,2%”, adianta a Oi.

O resultado antes de impostos, juros, depreciações e amortizações (EBITDA) recuou 2,8% no ano passado, face a 2019, para 5.845 milhões de reais (860,6 milhões de euros).

Os investimentos (capex) da Oi, incluindo as operações internacionais, somaram 1.736 milhões de reais (255,6 milhões de euros) no quarto trimestre, uma redução homóloga de 12,8% e de 13,7% face ao terceiro trimestre.

Já o capex total de 2020 atingiu os 7.299 milhões de reais (cerca de 1.074 milhões de euros), uma diminuição de 6,9% face a 2019.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Prejuízos da operadora brasileira Oi crescem para 1,55 mil milhões em 2020

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião