EDP abdicou de decisão do Fisco antes de vender barragens à Engie

  • ECO
  • 14 Abril 2021

A EDP abdicou de uma "decisão antecipada" que deixava o Fisco abrir um procedimento de inspeção prévio. As dúvidas que hoje recaem sobre o negócio poderiam ter sido dissipadas. 

A EDP abdicou de uma “decisão antecipada” que deixava o Fisco abrir um procedimento de inspeção prévio, para uma qualificação jurídico-tributária e para análise da operação de 2.200 milhões de euros com a Engie. Isto tudo ainda antes de concluir a venda das seis barragens no Douro, noticia o Público (acesso condicionado).

As grandes empresas, como a EDP, podem pedir essa “decisão antecipada” (válida por três anos) com uma antecedência mínima de 90 dias face ao termo do prazo para o cumprimento das obrigações declarativas. O pedido pode ser feito em determinada circunstâncias: quando às operações possa ser aplicada uma norma antiabuso; quando, para qualificar uma operação, é preciso apreciar “matéria de facto”; ou quando uma operação envolve entidades não residentes em território português (apesar de os compradores atuarem através de uma sociedade sediada no país, os benefícios vão para a Engie, sediada noutra jurisdição fiscal).

Quando existe um requerimento deste tipo de decisão, o Fisco produz um relatório que tem ser sancionado pela diretora-geral. A empresa, depois, não poderá agir em sentido contrário do que está no relatório. Assim, caso a EDP tivesse usado este acompanhamento preventivo, provavelmente as dúvidas que recaem atualmente sobre o pagamento de impostos no negócio teriam sido dissipadas.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

EDP abdicou de decisão do Fisco antes de vender barragens à Engie

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião