Corrida a três para a liderança da Associação Mutualista Montepio

Além de Virgílio Lima e Miguel Coelho, haverá uma terceira lista para concorrer às eleições no Montepio. Grupo de quadros superiores prepara alternativa e há dois nomes em cima da mesa.

A corrida à liderança da Associação Mutualista Montepio Geral (AMMG) deverá contar com pelo menos três candidatos. Além da lista de continuidade do presidente Virgílio Lima (que já tem equipa pronta) e da candidatura do ex-administrador Miguel Coelho, um grupo de quadros superiores da instituição está a preparar uma terceira via que gira à volta das figuras de Pedro Alves e Pedro Líbano Monteiro, presidentes da Montepio Crédito e da Montepio Valor, de acordo com fontes consultadas pelo ECO.

As eleições na maior mutualista do país vão ter lugar no final deste ano e, ainda que nenhuma candidatura tenha sido ainda oficializada até ao momento, a corrida há muito começou nos bastidores.

Como o ECO já revelou, há um grupo associados que integraram as duas listas de oposição a Tomás Correia nas últimas eleições a movimentar-se no sentido de criar unidade em torno de uma candidatura com Miguel Coelho, antigo administrador financeiro da associação, à cabeça.

Contudo, esta não será a única candidatura que irá concorrer contra Virgílio Lima, que encabeçará a lista de continuidade emanada da administração (conforme mandam os estatutos da AMMG). De resto, Virgílio Lima, segundo apurou o ECO, também já montou a sua equipa para tentar um novo mandato e que contará com a atual administradora Idália Serrão e o professor universitário e membro da comissão de auditoria da EDP, João Carvalho das Neves, e está no terreno à procura de apoios.

De acordo com informações recolhidas pelo ECO, esta terceira lista está a ser trabalhada no seio de um grupo de quadros superiores do Montepio há algum tempo. E, embora ainda não tenha um candidato assumido, há dois nomes que surgem na pole position para liderar a candidatura que reunirá forte apoio junto dos quadros da instituição: Pedro Alves e de Pedro Líbano Monteiro.

Ao ECO, Pedro Alves disse ter “profundo conhecimento da situação atual” da mutualista,” dos desafios colocados no novo quadro regulamentar e dos que emergem das necessidades das famílias no contexto que vivemos”. Afirmou ainda que, na qualidade de associado, a sua “participação enquanto candidato não está em cima da mesa”.

Acrescentou que, “enquanto quadro superior, ou membro de órgãos sociais de entidades do Grupo Montepio, estarei, como sempre estive, sempre disponível para dar o meu contributo com lealdade, profissionalismo, responsabilidade e ponderação em todas as funções que me foram, são, ou serão confiadas“, disse.

Enquanto não há candidatos oficiais, a instituição encontra-se a preparar o regulamento eleitoral, depois do processo de consulta pública lançado no arranque do ano.

Há expectativa para saber se algumas das posições (críticas) manifestadas por um grupo de associados serão incorporadas nas regras finais, designadamente quanto ao voto eletrónico e ao requisito de registo prévio por parte da Autoridade de Seguros e Fundos de Pensões (ASF), entre outros pontos.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Corrida a três para a liderança da Associação Mutualista Montepio

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião