Nas notícias lá fora: Deutsche Bank, Aramco e Índia

No plano empresarial, o Deutsche Bank reportou o maior lucro trimestral desde 2014, enquanto a Arábia Saudita está em conversações para vender participação na Aramco a uma empresa líder de energia.

Espanha pretende voltar a receber turistas estrangeiros a partir de junho sob o esquema do certificado verde digital. No plano empresarial, o alemão Deutsche Bank reportou o maior lucro trimestral desde 2014, enquanto a Arábia Saudita está em conversações para vender 1% da participação na Aramco a uma das principais empresas de energia do mundo. A pandemia continua a assolar a Índia, tendo sido ultrapassadas as 200 mil mortes por Covid-19

Financial Times

Deutsche Bank reporta o maior lucro trimestral desde 2014

O Deutsche Bank registou o maior lucro trimestral desde 2014, impulsionado pelo boom no comércio de títulos, fortes resultados em gestão de ativos e uma saída limpa da sua exposição à Archegos Capital. O banco alemão apresentou um lucro líquido de 908 milhões de euros, valor que compara com os 43 milhões registados no período homólogo. “O nosso primeiro trimestre é mais uma prova de que o Deutsche Bank está no caminho certo em todos os quatro negócios principais e está a construir resultados sustentáveis”, disse o CEO Christian Sewing.

Leia a notícia completa no Financial Times (acesso condicionado, conteúdo em inglês)

The Guardian

Espanha vai receber turistas estrangeiros com certificados Covid a partir de junho

Espanha pretende reabrir aos turistas estrangeiros a partir de junho sob o esquema de certificado de saúde digital Covid, que mostra se as pessoas foram vacinadas, testaram negativo ou recuperaram recentemente do vírus, adiantou o secretário de Estado do turismo espanhol. O país vai participar num esquema piloto de certificação digital em maio e estará “pronto para receber visitantes em junho”.

Leia a notícia completa no The Guardian (acesso livre, conteúdo em inglês)

Bloomberg

Arábia Saudita em conversações para vender participação da Aramco a empresa global de energia

O príncipe herdeiro da Arábia Saudita disse que o reino está em conversações para vender a participação de 1% na gigante estatal do petróleo Saudi Aramco a uma “empresa líder global de energia”. “Não quero fazer promessas sobre a finalização do negócio, mas há discussões a acontecer relativamente à aquisição de 1% por parte de uma das principais empresas de energia do mundo”, disse o príncipe Mohammed, acrescentando que “este negócio pode ser muito importante para fortalecer as vendas da Aramco no país onde esta empresa reside.” A confirmar-se o negócio pode valer 19 mil milhões de dólares, tendo em conta o valor de mercado da empresa.

Leia a notícia completa na Bloomberg (acesso condicionado, conteúdo em inglês)

Cinco Dias

Espanha, França Alemanha e Itália pedem aprovação rápida dos planos de recuperação e resiliência

Os responsáveis económicos da Alemanha, França, Itália e Espanha apresentaram conjuntamente esta quarta-feira os seus planos de recuperação e resiliência (PRR). “Pedimos a todos os membros que enviem os seus planos e ratifiquem o financiamento tão depressa quanto possível. Temos que trabalhar para implementar os pacotes de ajudas e as reformas”, disse o ministro das Finanças alemão, Olaf Scholz, acrescentando que “a aprovação mais rápida permitira que as atuações de cada país sejam mais eficazes”.

Leia a notícia completa no Cinco Dias (acesso livre, conteúdo em espanhol)

Reuters

Índia ultrapassa as 200.000 mortes por Covid-19, após um novo recorde

A Índia ultrapassou esta quarta-feira os 200 mil mortos desde o início da pandemia da Covid-19 ao registar 3.293 óbitos nas últimas 24 horas, um novo recorde. O país também contabilizou um novo máximo de infeções diárias: 360.960 novos casos, o que eleva o balanço total para mais de 18 milhões de infetados. Os especialistas acreditam que o balanço oficial de mortes poderá estar a ser subestimado, numa altura em que a falta de oxigénio, suprimentos médicos e equipas médicas causam preocupação no país.

Leia a notícia completa na Reuters (acesso livre, conteúdo em inglês).

 

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Nas notícias lá fora: Deutsche Bank, Aramco e Índia

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião