Direto Leão admite que desemprego pode ficar abaixo dos 7,3% previstos para este ano. Acompanhe aqui

O Governo vai apresentar o Programa de Estabilidade 2021-2025 e responder às questões dos deputados. Há três partidos com projetos de resolução sobre o documento.

Com um crescimento do PIB de 4% este ano e um défice orçamental de 4,5% do PIB, o Programa de Estabilidade 2021-2025 entregue a 15 de abril perspetiva o que serão os próximos anos de retoma pós-pandemia com a economia a expandir 4,9% em 2022, recuperando totalmente da Covid-19. Esta é a esperança do Governo com base no Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) e a continuação do processo de vacinação. Contudo, os partidos têm dúvidas com o PSD, CDS e PCP a apresentar projetos de resolução onde tecem críticas ao documento do Executivo. Esta quinta-feira deu-se o confronto entre o Executivo e os deputados e, apesar de o Programa de Estabilidade não ter de ser votado, é expectável que haja divisão entre as bancadas parlamentares.

No debate, o ministro das Finanças, João Leão, admitiu que a taxa de desemprego anual de 2021 pode ficar abaixo dos 7,3% estimados pelo Governo no Programa de Estabilidade 2021-2025. Esta expectativa surge após o Instituto Nacional de Estatística (INE) ter adiantado que a taxa ficou nos 6,5% em março, surpreendendo pela positiva o Ministério das Finanças: “A taxa de desemprego anunciada hoje pelo INE [Instituto Nacional de Estatística] está em valores muito abaixo do que eram expectáveis”, reconheceu.

“Olhe para a taxa de desemprego: 6,5%”, disse, respondendo a Afonso Oliveira (PSD), para depois acrescentar que “provavelmente até vai ficar, no cômputo do ano, abaixo do que temos no nosso Programa de Estabilidade“. Para o ministro esta é a medida de “eficácia” dos apoios do Governo, algo que repetiu diversas vezes durante o debate.

Reveja aqui o debate:

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Leão admite que desemprego pode ficar abaixo dos 7,3% previstos para este ano. Acompanhe aqui

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião