Volkswagen quer reduzir 40% das emisões de CO2 por veículo na Europa até 2030

  • Capital Verde
  • 30 Abril 2021

Até 2025, a Volkswagen planeia investir 14 mil milhões de euros em descarbonização e iniciativas de transição para a mobilidade elétrica que incluem tornar toda a cadeia de produção neutra em carbono.

A marca alemã Volkswagen estabeleceu esta quinta-feira como nova meta a redução de 40% das emissões de CO2 por cada modelo na Europa até 2030, acima do objetivo de 30% estabelecido pelo Grupo em 2018. Isto significa que cada veículo deste fabricante emitirá em média menos 17 toneladas de CO2 até ao final da década, anunciou a empresa na primeira Convenção “Way to Zero”.

Já nos próximos quatro anos, até 2025, a Volkswagen planeia investir 14 mil milhões de euros em descarbonização e iniciativas no âmbito da transição para a mobilidade elétrica que incluem tornar toda a cadeia de produção (incluindo a cadeia de
abastecimento) e também o funcionamento dos automóveis elétricos neutros em carbono. A isto junta-se ainda o compromisso de reciclagem sistemática das baterias de alta voltagem dos veículos elétricos antigos.

“A nossa grande ofensiva elétrica foi apenas o começo. Estamos a adotar uma abordagem holística da descarbonização: desde a produção, passando pela vida útil, até à reciclagem. E somos o primeiro fabricante de automóveis a apoiar a expansão das energias renováveis a uma escala industrial”, revelou Ralf Brandstätter, CEO da Volkswagen, em comunicado.

Dos automóveis aos parques eólicos

Além dos carros elétricos, a Volkswagen quer agora ser também responsável pela produção de eletricidade limpa para carregar as baterias dos mesmos, gerada inteiramente a partir de fontes renováveis. Hoje em dia, a empresa já disponibiliza aos seus clientes eletricidade verde para carregamento em casa (Volkswagen Naturstrom) e na estrada (por exemplo, nas estações de carregamento da empresa alemã de carregadores IONITY).

Mas agora quer ir mais longe e vai mesmo tornar-se no “primeiro fabricante de automóveis a apoiar diretamente a expansão das energias renováveis em grande escola“, nomeadamente através da construção de novos parques eólicos e centros solares em várias regiões da Europa até 2025, com os primeiros contratos já assinados com a empresa de energia RWE. Na Alemanha, está também a apoiar a construção do “maior projeto solar independente” do país, uma central solar com capacidade total de 170 milhões de quilowatts-hora que deverá estar a operar até ao final do ano.

De acordo com a marca, prevê-se que o conjunto dos projetos gere cerca de sete terawatts horas adicionais de eletricidade verde até 2025.

Descarbonizar a produção e a cadeia de abastecimento

Os esforços de descarbonização da marca passam também pela produção e pela cadeia de abastecimento. A partir de 2030, todas as fábricas da Volkswagen, à exceção da China, deverão funcionar inteiramente com eletricidade verde, explica a empresa. Hoje em dia, a eletricidade utilizada nas unidades de produção na Europa já provém de fontes renováveis e o objetivo é o de identificar e reduzir os maiores contribuintes para as emissões de CO2 da sua cadeia de abastecimento.

A ideia é seguir o modelo já em marcha de produção de células de bateria para a família de automóveis elétricos ID. que utiliza apenas eletricidade verde. E prosseguir o mesmo caminho mudando componentes para alternativas mais sustentáveis, como jantes de pneus feitas de alumínio “verde” já este ano, de forma a “melhorar a pegada de carbono dos modelos ID. em cerca de duas toneladas por veículo”, adianta em comunicado.

No caso de projetos para veículos novos, a Volkswagen pretende dar preferência a fornecedores com quem possa trabalhar para “melhorar gradualmente a sua pegada de carbono e assegurar a sustentabilidade da sua cadeia de abastecimento”.

Outra das medidas já implementadas, e agora reforçada, é a da reciclagem das baterias, que permitirá, segundo a marca, “a reutilização de mais de 90% das matérias-primas no futuro”. O objetivo é o de criar um circuito fechado para a vida da bateria e das suas matérias-primas, que a empresa tem à sua disposição em todo o Grupo.

Pé a fundo na eletrificação

Na convenção “Way to Zero”, nesta sua primeira edição totalmente digital devido á pandemoa de Covid-19, foi ainda realçada a nova estratégia “ACCELERATE” da Volkswagen, com a fixação de um objetivo claro: a eletrificação total da nova frota de veículos. Na Europa, a meta é a de pelo menos 70% das vendas unitárias da Europa serem veículos exclusivamente elétricos até 2030, ou seja, mais de um milhão de veículos, superando assim os requisitos do Acordo Verde europeu.

Para ajudar neste objetivo, a marca compromete-se a lançar pelo menos um novo modelo elétrico por ano.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Volkswagen quer reduzir 40% das emisões de CO2 por veículo na Europa até 2030

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião