Líderes europeus dividem-se sobre suspensão de patentes das vacinas. Merkel é contra, Macron a favor

Merkel pensa que o plano de Biden cria "severas complicações" à produção de vacinas. Itália e França apoiam. Assunto será debatido na Cimeira Social do Porto.

A chanceler alemã opõe-se aos planos dos Estados Unidos de suspender temporariamente as patentes das vacinas contra a Covid-19. Segundo um porta-voz do Governo, não identificado, Angela Merkel considera que o plano de Joe Biden criaria “severas complicações” à produção de vacinas, avança a Bloomberg.

Apesar da posição da líder alemã, o assunto foi atenuado pelo ministro dos Negócios Estrangeiros, Heiko Maas, que referiu que “esta é uma discussão para a qual estamos abertos”.

O sinal da chanceler já ajudou alguns das fabricantes de vacinas em bolsa, que se encontram em recuperação depois da queda na abertura de Wall Street.

A medida foi proposta primeiramente, em outubro do ano passado, pela Índia e a África do Sul à Organização Mundial do Comércio (OMC). Na altura, a ainda administração de Donald Trump opôs-se firmemente à renúncia na OMC, juntamente com o Reino Unido, a UE e a Suíça.

No entanto, a mudança de administração norte-americana trouxe uma alteração na posição do país. Na quarta-feira a conselheira comercial de Joe Biden, Katherine Tai, emitiu um comunicado, divulgado no Twitter, que informava que os Estados Unidos apoiam o levantamento temporário das patentes das vacinas contra a Covid-19.

Já esta quinta-feira Ursula von der Leyen disse que a União Europeia está disponível para avaliar a suspensão temporária das patentes. “A nossa prioridade é aumentar a produção para alcançar a vacinação global. Ao mesmo tempo, estamos abertos a discutir qualquer outra solução eficaz e pragmática. Nesse sentido, estamos prontos para avaliar como é que a proposta dos Estados Unidos pode ajudar a atingir esse objetivo”, afirmou.

Ao contrário de Angela Merkel, o Presidente francês Emmanuel Macron expressou apoio à renúncia dos direitos de propriedade intelectual das vacinas. Também o ministro da Saúde italiano, Roberto Speranza, considera a proposta de Joe Biden “um importante passo em frente”.

Com posições antagónicas, a discussão entre os 27 para chegar a uma posição oficial adivinha-se tensa. O debate faz parte dos temas a ser discutidos na Cimeira Social que se realiza no Porto a 7 e 8 de maio, segundo anunciou o presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, no Twitter.

Em Portugal, o BE e o PCP têm sido as maiores vozes a favor da suspensão de patentes, mas o Executivo de António Costa não parece estar de acordo, uma vez que a própria ministra da Saúde disse que o “levantamento de patentes não resolve o problema das vacinas”. Esta quinta-feira a ministra de Estado e da Presidência, Mariana Vieira da Silva, não adiantou muito, referindo que “a posição de princípio do Governo português é que estes temas são tomados em concertação a nível europeu“.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Líderes europeus dividem-se sobre suspensão de patentes das vacinas. Merkel é contra, Macron a favor

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião