BCP dispara mais 5% para máximos de um ano

Os ganhos do PSI-20 não foram mais expressivos devido ao peso das energéticas EDP e EDP Renováveis.

O BCP e a Nos brilharam na bolsa de Lisboa, que fechou a sessão desta quarta-feira em alta. O índice de referência nacional subiu 0,39% para 5.102,96 pontos, a acompanhar o sentimento positivo que se vive na Europa. Os ganhos não foram, no entanto, mais expressivos devido ao peso das energéticas EDP e EDP Renováveis.

As ações do banco liderado por Miguel Maya somaram 5,29% para 0,1493 euros, tendo mesmo chegado a ultrapassar os 0,15 euros por ação no decorrer da sessão. É a sexta sessão de ganhos consecutiva e o valor de fecho é o mais elevado num ano. Os títulos acumulam um ganho de 14% só esta semana e de 21% este ano.

O BCP beneficia, assim, da revisão da recomendação do Mediobanca, que passou de neutral para outperform, apesar do polaco Bank Millennium — que é detido maioritariamente pelo português BCP — ter anunciado prejuízos de 68,6 milhões de euros, no primeiro trimestre de 2021.

Desempenho do BCP no PSI-20

Já a Nos valorizou 2,9% para 3,02 euros por ação em reação à apresentação de resultados. Nos primeiros três meses de 2021, a telecom liderada por Miguel Almeida passou de prejuízos a lucros, tendo ganho 30,5 milhões de euros. Entre os pesos-pesados do índice, também a Galp Energia fechou no verde, com uma subida de 1,7% para 10,215 euros.

No retalho, a tendência foi mista. A Jerónimo Martins ganhou 1,33% para 15,60 euros, enquanto a Sonae recuou 1,62% para 0,819 euros, no dia que os líderes das duas maiores retalhistas do país criticaram a postura do Governo para com o setor, nomeadamente a carga fiscal e o Plano de Recuperação e Resiliência (PRR).

Na véspera de apresentarem resultados trimestrais, EDP e EDP Renováveis estiveram entre as maiores perdas do índice. A casa-mãe tombou 1,6% para 4,312 euros por ação e a eólica caiu 2,84% para 17,44 euros. Ainda assim, a maior desvalorização, de 5,75%, foi mesmo da Mota-Engil, cujas ações fecharam a valer 1,392 euros por ação.

A bolsa de Lisboa beneficiou da inversão nas ações europeias, que recuperaram esta quarta-feira do pior selloff deste ano graças aos resultados das empresas e aos sinais de recuperação económica que compensaram as preocupações sobre uma rápida subida dos preços. O Stoxx 600 e o espanhol IBEX 35 subiram 0,4%, o alemão CAC 40 e o fracês CAC 40 ganharam 0,3% e o britânico FTSE 100 somou 0,9%.

(Notícia atualizada às 17h05)

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

BCP dispara mais 5% para máximos de um ano

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião