União Europeia vai reabrir fronteiras a turistas totalmente vacinados em junho

UE tinha as fronteiras externas fechadas devido à pandemia de Covid-19. Cada país tem autonomia para decidir se a vacina é suficiente para a entrada de turistas.

Depois de um ano com as fronteiras externas encerradas para a maioria dos países por causa da pandemia de Covid-19, a União Europeia (UE) concordou, esta quarta-feira, em reabrir as fronteiras a todos os turistas que já tenham sido totalmente vacinados contra o SARS-CoV-2. No Twitter a Comissão Europeia confirmou a decisão do Conselho Europeu. Abertura de fronteiras deverá acontecer em junho, segundo a AFP.

Numa reunião realizada esta quarta-feira, foi acordado que as regras atuais deveriam ser alteradas para permitir aos turistas totalmente vacinados contra o novo coronavírus visitar destinos europeus. “Hoje concordámos em atualizar a abordagem de viagens de fora da UE. O Conselho [Europeu] agora recomenda que os Estados-membros aliviem alguma das suas medidas”, revelou Christian Wigand, porta-voz da UE.

Segundo o porta-voz, os turistas vão precisar de estar vacinados com fármacos aprovados na União Europeia, o que pode limitar a entrada de turistas uma vez que apenas quatro vacinas estão aprovadas – Pfizer/BioNTech, Moderna, AstraZeneca e Johnson&Johnson.

Apesar da decisão da UE, o Telegraph indica que a decisão final fica a cargo de cada governo que irá decidir se a vacina é suficiente como prova para entrada de turistas.

Além do mais, a lista de países seguros – que atualmente conta com apenas sete países, de acordo com o site Re-open EU- será atualizada, podendo até incluir o Reino Unido. Esta quarta-feira os representantes europeus concordaram com novos critérios para esta lista. Um dos novos critérios, segundo a AFP, é o aumento em do nível de novos casos que um país pode atingir antes de ser declarado inseguro – uma medida que pode adicionar ainda mais países à “lista segura” e fazer com que o turismo europeu recupere do grande corte sentido com a pandemia.

Os turistas dos países que fazem parte desta “lista segura” podem entrar na UE sem estarem vacinados, no entanto, a maioria dos países requer um teste PCR negativo realizado nas 72 horas anteriores ao voo.

A Comissão Europeia já tinha pedido, há cerca de duas semanas segundo indicou Wigand, que o Conselho decidisse reabrir as fronteiras.

A decisão do Conselho Europeu chega dois dias depois dos turistas do Reino Unido terem aterrado em Portugal. Isto porque o Governo de António Costa decidiu ir contra as recomendações da UE e deixar entrar turistas britânicos (de recordar que o Reino Unido deixou oficialmente o bloco europeu em janeiro de 2020). Também a Grécia e Itália já permitem turistas britânicos, apesar de nenhum destes países estar incluído na “lista verde” do Reino Unido.

Por toda a Europa os casos têm vindo a diminuir. Não só Portugal aliviou as medidas restritivas, mas também outros países como Áustria, França e Países Baixos, o que pode ter ajudado os líderes europeus a tomar esta posição.

A UE decidiu fechar as fronteiras externas em março de 2020 na tentativa de conter a pandemia de Covid-19. Em junho os líderes europeus decidiram reabrir, mas apenas para alguns países e, desde então, apenas os países e territórios que fazem parte dessa “lista segura” têm acesso à UE.

(Notícia atualizada pela última vez às 12h55)

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

União Europeia vai reabrir fronteiras a turistas totalmente vacinados em junho

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião