Há seis candidatos a representar os trabalhadores da TAP na administração

Os próximos cinco dias servirão para uma espécie de “campanha”, na qual cada um irá apresentar propostas. A eleição decorrerá a 3 de junho e o resultado será anunciado no dia seguinte.

Há seis candidatos a representantes dos trabalhadores da TAP no conselho de administração da empresa. Após o período de apuramento das candidaturas e da validação pelo representante do Ministério das Infraestruturas e da Habitação e do Secretário da Sociedade TAP SGPS, o lote final foi comunicado aos trabalhadores na manhã deste sábado.

A comunicação interna a que o ECO teve acesso explica que, “concluído o processo de validação das candidaturas, nos termos de regulamento”, os candidatos são:

  • Cristina Maria Pereira Cardoso
  • João Calisto Vaz de Matos Belo
  • João Pedro da Conceição Duarte
  • Paulo Jorge Mendes Manso
  • Ricardo Paes Mamede
  • Rita Cristina Oliveira da Costa Silva

A generalidade dos candidatos são trabalhadores da casa. É o caso de João Calisto, da área dos recursos humanos que conta com o apoio da plataforma que agrega o Sindicato dos Economistas (SE), Sindicato dos Engenheiros (SERS), Sindicato dos Contabilistas (SICONT), Sindicato das Indústrias Metalúrgica e Afins (SIMA), Sindicato Nacional dos Trabalhadores da Aviação Civil (SINTAC), Sindicato dos Quadros da Aviação Comercial (SQAC) e Sindicato dos Técnicos de Handling de Aeroportos (STHA).

Já Paulo Manso é o presidente do Sindicato de Técnicos de Manutenção de Aeronaves (SITEMA). Por outro lado, o nome externo é o do economista Ricardo Paes Mamede, que tem o apoio do Sindicato dos Trabalhadores da Aviação e Aeroportos (SITAVA), do Sindicato Nacional do Pessoal de Voo da Aviação Civil (SNPVAC), do Sindicato dos Trabalhadores dos Transportes de Portugal (STTAMP) e do Sindicato do Trabalhadores dos Aeroportos, Manutenção e Aviação (STAMA).

Na semana passada, o ministro das Infraestruturas e da Habitação informou os trabalhadores da companhia aérea que, a partir do próximo mandato dos órgãos sociais, vão poder eleger um dos administradores não executivos. Até quinta-feira foram apresentados os candidatos à eleição por parte de um sindicato, comissão de trabalhadores ou grupo individual de funcionários, desde que represente 2% da força de trabalho (ou 165 pessoas).

Tanto a Comissão de Trabalhadores (CT) como o Sindicato dos Pilotos da Aviação Civil (SPAC) decidiram não apresentar qualquer candidatura pelo que irão agora avaliar qual o candidato que apoiam. Os próximos cinco dias servirão para uma espécie de “campanha”, na qual cada um irá apresentar propostas.

A eleição decorrerá a 3 de junho e o resultado será anunciado no dia seguinte. O candidato mais votado será indicado pela República Portuguesa como Administrador não executivo da TAP SGPS e proposto para eleição na Assembleia Geral da TAP SGPS que designará os órgãos sociais para o próximo mandato que se inicia em 2021, que deverá acontecer em junho.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Há seis candidatos a representar os trabalhadores da TAP na administração

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião