Tribunal de Contas controlou 837 entidades num total de 283,3 mil milhões de despesa em 2020

  • Lusa
  • 1 Junho 2021

No ano passado, “foram realizadas 40 auditorias e outras ações de controlo e foram formuladas 279 recomendações” pelo Tribunal de Contas.

O Tribunal de Contas (TdC) controlou, em 2020, 837 entidades, que correspondem a cerca de 283,3 mil milhões de euros de despesa pública, de acordo com o seu relatório de atividades, divulgado esta terça-feira.

Assim, a entidade referiu que, neste contexto, em 2020, “controlou cerca de 837 entidades, correspondentes a cerca de 283,3 mil milhões de euros de despesa pública”, tendo emitido todos os pareceres sobre as contas previstos na lei.

O TdC fiscalizou, de acordo com uma nota, “previamente 1.826 atos e contratos, tendo recusado o visto a 31 contratos”, adiantou ainda. Estes 31 processos representam um volume financeiro de 102 milhões de euros, representando 1,9% do montante controlado, detalhou o tribunal, no seu relatório.

Além disso, “foram realizadas 40 auditorias e outras ações de controlo e foram formuladas 279 recomendações” pelo TdC, que “verificou ainda 503 contas de organismos públicos e julgou 28 processos de efetivação de responsabilidades financeiras”.

O tribunal “validou ainda 6.556 contas, concluiu a análise de 218 denúncias e realizou 17 auditorias específicas para apuramento de eventuais responsabilidades financeiras”, garantindo que “acompanhou, de forma permanente e sistemática, o acolhimento das suas recomendações”.

De acordo com o relatório do TdC, “o valor controlado ‘a priori’ diminuiu 10,7%, acompanhando o número de processos entrados no Tribunal (-17,9%), tendo-se verificado um decréscimo de 19,2% de processos controlados”.

De acordo com o documento, em 2020 “a atividade de fiscalização prévia foi particularmente condicionada pela pandemia de covid-19 que assolou o país no final do primeiro trimestre do ano”. O organismo revelou que, “em 2020, entraram para apreciação do Tribunal 3.739 processos” e que “67% dos processos de visto foram decididos dentro do prazo legal, tendo os restantes processos sido considerados visados tacitamente nos termos da lei”.

A intervenção do tribunal, revela do TdC, “conduziu a que, na sequência dos cancelamentos solicitados pelas entidades adjudicantes e da redução de encargos dos contratos submetidos a fiscalização prévia, não fosse realizada despesa de 47,5 milhões de euros associada a esses processos”.

Numa nota em separado, o presidente da entidade, José Tavares salientou que “a situação de emergência sanitária vivida em 2020 implicou mudanças significativas no ambiente interno e externo, que foram enfrentadas em todas as suas dimensões” e “um novo contexto de controlo que exigiu uma resposta adequada tão rápida quanto possível e conduziu ao reajustamento de todos os instrumentos de planeamento do Tribunal”, o que se traduziu “num grande esforço de acompanhamento da crise e das suas consequências nas finanças públicas”.

“O tribunal e seus serviços de apoio fizeram um esforço para se adaptarem às condições de trabalho resultantes da pandemia, com o desenvolvimento alargado do teletrabalho e a articulação com as entidades auditadas por meios eletrónicos, sempre na perspetiva de, na atual situação, não sobrecarregar a prestação do serviço público”, referiu ainda o presidente do TdC.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Tribunal de Contas controlou 837 entidades num total de 283,3 mil milhões de despesa em 2020

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião