Frente espanhola põe travão à saída da Semapa de bolsapremium

Ainda não é desta que a família Queiroz Pereira deverá conseguir tirar a Semapa de bolsa e ficar com 100% da empresa. Fundos espanhóis com 7% do capital recusaram vender. Preço era demasiado baixo.

Bestinver, Cobas, Magallanes e Horos. Nenhuma destas quatro gestoras de fundos de investimento espanholas, que juntas detêm 7% dos direitos de voto da Semapa, aceitou vender na OPAlançada pela família Queiroz Pereira com o objetivo de retirar a “holding” de bolsa e assegurar a totalidade do capital. A operação termina hoje às 15h. “A oferta é muito baixa e não reflete o real valor dos ativos da Semapa. Optámos por não a aceitar em defesa do interesse dos participantes dos nossos fundos”, justifica Diogo Pimentel, analista de investimentos da Magallanes Value Investors, que tem cerca de 1,5% do capital da empresa. Não foi a única a recusar os 12,17 euros oferecidos pela Sodim. A Semapa comunicou na terça-feira ao mercado, dia em que as ordens na OPA se tornaram irrevogáveis, que foram

Assine para ler este artigo

Aceda às notícias premium do ECO. Torne-se assinante.
A partir de
5€
Veja todos os planos