Apostas em jogo online superam dois mil milhões de euros com país confinado

Com os casinos fechados e os portugueses mais apostadores, dispararam as apostas online no primeiro trimestre do ano, marcado pelo confinamento. Há cada vez mais jogadores, sobretudo com menos de 35.

Não foram só as ações da GameStop e as criptomoedas como a bitcoin. Durante o primeiro confinamento, disparam também as apostas online. Portugal não foi exceção: entre janeiro e março de 2021, inscreveram-se 329,4 mil novos jogadores nos sites regulados de apostas, mantendo-se a trajetória de crescimento do número de jogadores com menos de 35 anos.

Os dados foram revelados esta quarta-feira pelo gabinete do ministro de Estado, da Economia e da Transição Digital, Pedro Siza Vieira. Apesar de o crescimento do volume de jogo ter abrandado no primeiro trimestre, a subida, ainda assim, foi de 15,7% em cadeia. Feitas as contas, a receita bruta das casas de apostas online atingiu os 128,3 milhões de euros, mais 82,6% do que no mesmo trimestre de 2020.

Somando o montante aplicado pelos portugueses nas apostas desportivas à cota com o dos jogos de fortuna ou azar, o valor das apostas no trimestre superou mesmo os dois mil milhões de euros, tendo alcançado mais de 2.030 milhões de euros.

O crescimento dos valores apostados abrandou em cadeia. “Nos jogos de fortuna ou azar, constata-se um aumento de 14% nos montantes apostados” no trimestre, quando entre outubro e dezembro de 2020, a subida tinha sido de 19,3%. Já em comparação com o período homólogo, antes do primeiro confinamento, registou-se um aumento acima de 80%.

Apostas desportivas e apostas em jogos de fortuna/azar:

Fonte: SRIJ

Estes resultados contrastam significativamente com o desempenho dos negócios físicos no mesmo setor, de que são exemplo os casinos e as salas de bingo. A pandemia da Covid-19 “obrigou ao encerramento” destes estabelecimentos entre 15 de janeiro, realidade que ainda se verificava a 31 de março, exceto os casinos dos Açores e da Madeira e da Sala de Máquinas da Ilha Terceira.

Sem acesso às máquinas, os apostadores viraram-se para os ecrãs dos computadores e telemóveis: “No que se refere à atividade de jogos e apostas online, durante o primeiro trimestre de 2021, manteve-se a tendência geral de crescimento que vem sendo observada desde 2017, sustentada no aumento do número de licenças que foram emitidas ao longo deste período de existência de um mercado regulado em Portugal”, destaca o Ministério da Economia.

No final de março, tinham sido emitidas 25 licenças, que comparam com as seis emitidas até ao final do primeiro trimestre de 2017, “tendo as últimas cinco sido emitidas no ano de 2020”, sumariza o comunicado.

Mais jogadores pedem para não jogar

Com o mercado das apostas online em forte expansão, aumentou também o número de pessoas que optaram por se autoexcluir da prática de jogos e apostas online. A 31 de março, eram 86,1 mil jogadores, uma subida de 13,7 mil pessoas em apenas três meses e cerca de 3,1% dos jogadores registados em todas as entidades exploradoras. E cresceram também as fraudes.

O Serviço de Regulação e Inspeção de Jogos continuou a “monitorizar a existência de sites ilegais de jogo online, tendo notificado os prestadores intermediários de serviços em rede para o bloqueio de 86″ sites ilegais de jogo. Desde o início do mercado regulado, já foi solicitado o bloqueio de 761 sites ilegais.

Correção: Uma versão anterior indicava que as apostas online tinham alcançado os 128 milhões de euros no primeiro trimestre, mas este é o valor da receita bruta das casas de apostas online. O montante total aplicado pelos portugueses foi superior a dois mil milhões. Aos leitores, as nossas desculpas.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Apostas em jogo online superam dois mil milhões de euros com país confinado

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião