Economia estabiliza na segunda semana de junho. Volta a crescer face a 2019

A economia portuguesa estabilizou na segunda semana de junho face à semana anterior. Em relação à taxa bienal, esta voltou a ser positiva após um curto período em que foi negativa.

O indicador diário de atividade económica (DEI) do Banco de Portugal mostra que o crescimento da economia portuguesa estabilizou na segunda semana de junho, face à semana anterior, numa altura em que os dados de 2021 já começam a comparar com períodos de maior desconfinamento em 2020. Após um curto período em que ficou abaixo da média dos últimos dois anos, o DEI volta a registar crescimentos nessa ótica.

“Na semana terminada a 13 de junho, o indicador diário de atividade económica (DEI) apresentou uma estabilização face à semana anterior”, revela o Banco de Portugal esta quinta-feira, notando que “a taxa bienal correspondente registou um aumento no mesmo período”.

Fonte: Banco de Portugal.

Apesar de ter estabilizado face à primeira semana de junho, o indicador de alta frequência do Banco de Portugal mostra que a economia portuguesa continua a beneficiar do processo de desconfinamento e da baixa base de comparação de 2020, ainda que cada vez menos. Este abrandamento poderá ser explicado por uma base mais alta de comparação em 2020 dado que o país também estava a desconfinar por esta altura no ano passado.

Apesar de diário, o DEI é apenas publicado à quinta-feira, com dados até ao domingo anterior. Com efeito, a 30 de maio, o último dia para o qual foi apurado o DEI, o crescimento homólogo do indicador foi de 17,4%. Quanto à média móvel semanal, o último valor é o de 10 de junho: uma subida homóloga de 17,9%.

Neste momento, na comparação com a média dos últimos dois anos (2019 e 2020), o valor voltou a subir para lá dos zero, após um curto período com valores negativos. A média móvel semanal do DEI acumulado de dois anos a 10 de junho foi de 0,4%.

Fonte: Banco de Portugal.

Estes dados do segundo trimestre contrastam com as variações registadas no primeiro trimestre de 2021 — muito condicionado pelo segundo confinamento — em que o PIB contraiu 5,4% face ao mesmo período do ano passado, o qual já tinha sido afetado ligeiramente pela pandemia. Em cadeia, ou seja, face ao quarto trimestre de 2020, a queda do PIB foi de 3,3%.

As previsões existentes para o segundo trimestre apontam para crescimentos expressivos: no caso do ISEG, a variação em termos homólogos pode ficar entre os 14,5% e os 15,5% e, no caso da Comissão Europeia, aponta para os 13,5%. Esta quinta-feira o Banco de Portugal reviu em alta o crescimento anual do PIB de 3,9% para os 4,8%, antecipando que a expansão económica do segundo trimestre seja suficiente para mais do que compensar a contração do primeiro trimestre.

A próxima divulgação do DEI está marcada para 24 de junho, sendo relativa à terceira semana de junho.

(Notícia atualizada às 12h25 com mais informação)

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Economia estabiliza na segunda semana de junho. Volta a crescer face a 2019

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião