Portugal sobe uma posição no ranking global de competitividade. Está em 36.º lugar

Portugal voltou a subir no ranking global de competitividade do IMD World Competitiveness Center, que é atualmente liderado pela Suíça. Está em 36.º lugar.

Portugal soma e segue. Depois de uma queda em 2019 e da recuperação em 2020, Portugal voltou a subir no ranking global de competitividade do IMD World Competitiveness Center, que é liderado pela Suíça. Este ano subiu uma posição face ao ano passado, fixando-se agora em 36º. lugar.

Apesar da ligeira descida em indicadores “chave” como o desempenho económico e a eficiência governativa, “a mão-de-obra qualificada, a competitividade dos custos, a fiabilidade da infraestrutura e atitudes abertas e positivas” tornam a economia nacional na 36.º economia mais competitiva a nível global, aponta IMD, em comunicado.

Este ano, Portugal caiu duas posições no desempenho económico (está em 43.º lugar) e recuou quatro lugares no que toca à eficiência governativa (está na 38.ª posição). Em contrapartida, “o país saltou de 41.º para 38.º em matéria de eficiência empresarial e conservou o seu 27.º posto na área da infraestrutura”, lê-se na nota de imprensa.

A melhoria na posição do país foi influenciada pelos resultados relativos ao nível do enquadramento social (20.ª posição), da saúde e do ambiente (23.ª posição), da legislação empresarial (27.ª posição) e da educação (29.ª posição).

Por outro lado, os “pontos fracos” que prejudicam a competitividade nacional continuam a estar relacionados com as finanças públicas (54.º lugar), política fiscal (53.º lugar), as práticas de gestão (51.ª posição), bem como e a economia doméstica (49.ª posição), sinaliza o instituto.

Entre “a mão-cheia de desafios” que Portugal vai enfrentar ao longo deste ano, o IMD destaca o “crescimento do PIB acima da média europeia”, bem como adoção de “uma política fiscal e regulatória favorável às empresas e ao investimento”. Ao mesmo tempo, o país “deverá desenvolver uma estratégia para a transformação digital e reformar os setores da justiça, da saúde, da educação e da segurança social”, sinaliza o instituto, sugerindo ainda que Portugal crie um “acordo interpartidário”, por forma a “lidar com os problemas demográficos do país, como o envelhecimento da população, a baixa taxa de natalidade e as migrações”.

Olhando para o ranking, a Suíça é atualmente o país mais competitivo do mundo, tendo destronado Singapura, que caiu para a quinta posição. O pódio é ainda constituído pela Suécia e Dinamarca.

Veja o top 10 do ranking:

  1. Suíça
  2. Suécia
  3. Dinamarca
  4. Holanda
  5. Singapura
  6. Noruega
  7. Hong Kong
  8. Taiwan
  9. Emirados Árabes Unidos
  10. Estados Unidos da América

 

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Portugal sobe uma posição no ranking global de competitividade. Está em 36.º lugar

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião