Pingo Doce, Lidl, Aldi e Ikea estão a recrutar. Há mais de 650 vagas

Com o país a desconfinar e a economia a reabrir, o retalho alimentar e não alimentar retomou as políticas habituais de reforço de equipas para a época estival. Há centenas de vagas por preencher.

O Pingo Doce, o Lidl, o Aldi e a Ikea estão a recrutar para reforçar as equipas das cadeias de retalho alimentar e não alimentar no verão e, em alguns casos, responder à expansão da rede de lojas. Globalmente, há mais de 650 ofertas de emprego nas insígnias. Só o Lidl conta até final de agosto recrutar 400 colaboradores.

Com o país a desconfinar e a economia a reabrir, o retalho retomou as políticas habituais de reforço de equipas para a época estival. No Pingo Doce há mais de duas centenas ofertas de emprego disponíveis. “Dada a dinâmica do nosso negócio, temos processos de recrutamento ao longo de todo o ano, sendo que atualmente temos mais de 200 vagas em aberto, para diferentes funções nas operações de loja, cozinhas centrais, armazéns logísticos e escritórios”, adianta Mariza Pereira, diretora de recrutamento do Pingo Doce à Pessoas.

As vagas são transversais à cadeia do grupo Jerónimo Martins. “Para quem gosta da atividade dinâmica com os desafios de atendimento e serviço ao cliente, temos em aberto posições para as mais diferentes funções que compõe uma Loja Pingo Doce, como o Talho, a Padaria, as Frutas e Vegetais, a Charcutaria, Frente de Loja e claro, a Equipa de Gerência. São posições que estão em aberto nas lojas em todo o país”, precisa a diretora de recrutamento. A cadeia tem mais de 450 lojas.

Há ainda vagas em aberto para a área de armazéns para funções nas operações de Logística, em Algoz, Azambuja e Alfena, bem como nas cozinhas centrais de Odivelas e Aveiro – responsáveis pela confeção do pronto a comer do Pingo Doce – para quem é “apaixonado por comida e gosta de cozinhar”.

Nos escritórios da companhia estão ainda a decorrer processos de recrutamento para as áreas Comercial, Marketing, RH, Ambiente, Qualidade e Segurança Alimentar.

“Ainda este ano, vamos abrir diversas vagas a nível nacional, no âmbito do Programa Geral de Gestão de Loja (PGGL), um programa de formação em contexto prático de trabalho que pretende preparar futuros adjuntos de gerentes de loja”, adianta Mariza Pereira.

Lidl quer contratar 400 até agosto

No Lidl, o reforço das equipas no verão também levou a cadeia alemã a abrir processos de recrutamento para preencher vagas um pouco por todo o país. “Prevemos, até finais de agosto, recrutar cerca de 400 pessoas para posições de Operador de Loja e/ou Entreposto, de norte a sul do país”, revela Maria Roman, administradora de Recursos Humanos do Lidl Portugal à Pessoas. No mercado nacional, a cadeia conta com mais de 260 lojas, quatro direções regionais e entrepostos, além da sede.

“A nossa previsão de contratação de cerca de 400 pessoas para posições de Operador de Loja e/ou Entreposto, incide quer em vagas para reforço pontual do período do verão, quer de novos postos de trabalho, resultado do processo contínuo de expansão e modernização da nossa rede de lojas em Portugal”, justifica.

Para os escritórios, “as contratações são dinâmicas”, pelo que “poderão surgir oportunidades para diversas funções em vários departamentos da empresa, incluindo posições de chefia ou até programas para recém-graduados, não sendo possível para já, avançar com previsões”, refere Maria Roman. No site da cadeia é possível os interessados fazerem a sua candidatura online.

 

Aos novos colaboradores, a companhia oferece um ordenado de entrada de 670 euros brutos, a que se junta subsídio de alimentação. “Desde 2019 que o ordenado de entrada no Lidl para as funções de Operador de Loja e de Entreposto (auferido no primeiro ano de trabalho) é de 670 euros – acima do valor nacional para esse ano e mantendo-se ainda acima do valor de referência nacional – com progressão para 870 euros em 3 anos, para colaboradores em full time, sendo proporcional à respetiva carga horária”, destaca.

“Oferecemos um subsídio de alimentação de 7,63 euros, valor que aumentámos no início de 2020, sendo o máximo legal permitido sem encargos adicionais para o colaborador”, refere ainda.

 

 

Todos os colaboradores da empresa, independentemente da sua carga horária, usufruem ainda “de um seguro de saúde de referência com um valor de mercado de 400 euros, com extensão ao seu agregado familiar”, informa. “O mesmo inclui apoio psicológico e consultas de nutrição online sem qualquer custo para o colaborador, reforçado no contexto de pandemia, uma vez que consideramos que é crucial continuarmos a estar atentos às preocupações dos nossos colaboradores, garantindo o seu bem-estar emocional”.

O Lidl oferece ainda “mais de 200 parcerias com descontos para os colaboradores, com várias entidades de referência, em áreas como lazer, saúde, desporto, automóvel, hotelaria, família, entre outros”, disponibiliza a todos os futuros pais um kit de bebé no valor de 120 euros composto por uma seleção de produtos alergénicos e todos os colaboradores sem faltas injustificadas têm direito a mais três dias de férias para além do estipulado por lei.

Candidato procura-se

Na cadeia alemã Aldi o reforço de equipas no verão também está a acontecer, sobretudo nas lojas no Algarve. “É nesta região do país onde, anualmente, sentimos uma maior necessidade de reforçar equipas, sobretudo nos meses de julho e agosto. O nosso plano de expansão nacional vem, também, reforçar a necessidade de recrutamento nesta região, com a abertura da nossa nova loja em Albufeira – a 4.ª nessa zona algarvia – já durante o próximo mês de julho”, adianta fonte oficial do retalhista à Pessoas. Os processos já arrancaram. “À data de hoje, estamos apenas a fazer um reforço adicional para colaboradores de loja para duas localizações, Altura e Lagoa”, precisa, sem adiantar para que posições, nem que condições está a oferecer aos futuros funcionários. No site da empresa, os potenciais interessados podem verificar as ofertas ainda em aberto e candidatar-se online.

O recrutamento de verão no Ikea continua e ainda há vagas disponíveis. “Estamos ainda a contratar colaboradores que possam fazer parte da nossa equipa Ikea e assim reforçar as nossas lojas durante o período de verão. Do total de 600 vagas, temos cerca de 50 posições ainda em aberto de norte a sul”, informa fonte oficial.

No retalho não são as únicas cadeias do setor a realizar ações de recrutamento. A Leroy Merlin procura preencher 240 vagas, no Mercadão pretende-se mais de 200 personal shoppers para garantir que a recolha em loja de compras feitas no marketplace, por exemplo do Pingo Doce, são entregues em casa dos clientes, e na cadeia de material desportivo Decathlon há mais de 100 vagas.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Pingo Doce, Lidl, Aldi e Ikea estão a recrutar. Há mais de 650 vagas

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião