Empresas que investiram em tecnologia multiplicam por cinco as receitas na pandemia

Estudo da Accenture revela que o sucesso é ainda maior quando as empresas investem em transição para a cloud e reestruturação que dê primazia à inovação tecnológica e acesso à tecnologia.

As empresas que mais investiram em tecnologia durante a pandemia rentabilizam o seu negócio cinco vezes mais e aumentaram a previsão de crescimento face aos principais concorrentes, de acordo com um novo estudo da Accenture que destaca o papel fundamental da tecnologia no sucesso das empresas.

O estudo “Make the Leap, Take the Lead” demonstra que devido ao aumento dos investimentos na cloud, em inteligência artificial (IA) e outras tecnologias, as “Leaders” apresentam um crescimento de receita cinco vezes mais rápido do que as suas concorrentes, as “Laggards” – retardatários.

“As empresas com pontuação mais alta nesta categoria e que conseguiram direcionar substancialmente os seus orçamentos de TI para a inovação, apresentaram um crescimento bastante acima das ‘Laggards”, afirma Rui Barros, managing director responsável pela área de tecnologia na Accenture Portugal.

Fonte: Accenture

Mais de 70% das empresas “Leaders” fizeram crescer os seus investimentos em segurança na cloud e 68% fizeram a sua aposta em hybrid cloud. Estas empresas também aprofundaram tecnologias como Internet of Things – IoT (70%), IA e machine learning (59%).

O estudo mostra que as estratégias que emergem da tecnologia garantem um sucesso ainda maior quando as empresas dominam três imperativos:

  • Transição para a cloud de forma a limitar a quantidade de tecnologias redundantes e de dados desconexos em TI. Por exemplo, 80% dos ‘Leapfroggers’ adotou tecnologia na cloud ainda em 2017. Em 2020, esse número aumentou para 98%.
  • Reestruturação focada numa estratégia que priorize a inovação tecnológica. Para os ‘Leapfroggers’ (empresas que incluem a inovação de forma transversal em todas as áreas de negócio) a aposta em inovação foi uma prioridade absoluta durante a pandemia e 67% procuraram fazer crescer de uma forma agressiva os lucros através da aposta em áreas de negócio que até aí não eram o seu core business.
  • Aumentar, por parte das diversas áreas de negócio, o acesso à tecnologia e adotar um plano mais vasto, que inclua requalificação profissional personalizada, o bem-estar e a saúde mental dos colaboradores. Cerca de 65% das empresas ‘Leaders’, contra apenas 43% dos ‘Laggards’, atribuem prioridade ao bem-estar dos seus colaboradores e proporcionam formas de trabalho flexíveis.

Para Pedro Galhardas, managing director responsável pela área de Strategy&Consulting na Accenture Portugal, este estudo “mostra que as empresas líderes adotam tecnologias inovadoras mais cedo e realizam investimentos mais frequentes do que os seus pares”.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Empresas que investiram em tecnologia multiplicam por cinco as receitas na pandemia

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião