Intelcia do grupo Altice Portugal integra 1.100 colaboradores

No espaço de pouco mais de um ano, esta é a segunda integração de milhares de colaboradores na Intelcia, empresa controlada pelo Grupo Altice.

A Intelcia Portugal, empresa do grupo Altice, integra a partir de amanhã nos seus quadros 1.100 novos colaboradores, para prestar serviço em 12 call centers a clientes estrangeiros a partir de Portugal. O anúncio surge depois de a Altice Portugal ter anunciado que iria avançar com um despedimento coletivo até 300 colaboradores na dona do Meo dado o “contexto muito adverso” no setor das comunicações eletrónicas.

No espaço de mais de um ano é a segunda integração de milhares de colaboradores na Intelcia, empresa controlada pelo Grupo Altice, depois de em janeiro do ano passado, antes da pandemia, a Altice ter anunciado a integração na empresa especialista em outsourcing de dois mil colaboradores até então ligados ao ManpowerGroup que prestavam serviços para o grupo de Patrick Drahi.

Agora integra outros 1.100 trabalhadores. “Este projeto representa o reforço da presença da Intelcia no mercado nacional e internacional, bem como um estímulo à economia portuguesa, com o objetivo de atrair novos projetos para o país”, diz a Intelcia Portugal, citada em comunicado.

A decisão surge no “seguimento da estratégia de diversificação de portfólio assumida há quatro anos, pelo Grupo em Portugal”, diz a Altice informando que “estes novos recursos humanos vão ser integrados no universo Altice através de contratos a termo certo e incerto“.

Em Portugal, a Intelcia presta serviços para diversos clientes nacionais e internacionais, em vários setores de atividade. Com mais de 27 mil colaboradores, dos quais 6 mil em Portugal, a empresa opera em 56 sites em 17 países. “A Intelcia irá dar continuar à sua expansão potenciando as competências multilinguísticas e de serviço ao cliente, através de novas oportunidades de crescimento em Portugal e nos restantes países onde atua”, informa comunicado.

O reforço da operação de call centers surge depois da Altice Portugal ter anunciado a 22 de junho um despedimento coletivo até 300 pessoas na dona do Meo. “Uma decisão difícil, mas que se afigura como indispensável, essencialmente devido ao contexto muito adverso que se vive no setor das comunicações eletrónicas”, justificou Alexandre Fonseca, CEO da Altice, numa missiva enviada aos colaboradores a que o ECO teve acesso.

A decisão foi tomada depois da segunda fase do Programa Pessoas ter ficado aquém dos objetivos: dos até 2 mil colaboradores, apenas 1.700 aderiram ao programa tendo sido aceites 1.100 candidaturas.

“A estratégia adotada e a gestão implementada nos últimos anos, no que respeita aos Recursos Humanos, controle de custos e presença no mercado, permitiu-nos reduzir significativamente a necessidade de executar uma reorganização de maior dimensão e profundidade. É por estes motivos que a decisão tem um alcance muito menor do que as estimativas iniciais apontavam, quando o Plano Integrado de Reorganização foi desenhado e anunciado publicamente”, referiu Alexandre Fonseca, na missiva aos colaboradores.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Intelcia do grupo Altice Portugal integra 1.100 colaboradores

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião