Quarta vaga da Covid-19 já isolou três membros do Governo

António Costa, Matos Fernandes e Maria do Céu Albuquerque já estiveram em isolamento recentemente. No final de 2020 e início de 2021 vários membros estiveram infetados ou em quarentena.

Foi no final de 2020, e início de 2021, que a Covid-19 atacou em força o Governo português, deixando vários ministros infetados e outros tantos em isolamento. Agora, o perigo é menor, uma vez que já estão vacinados, mas não é impossível ficar infetado. Só nesta quarta vaga, três estiveram de ficar em quarentena, por terem estado em contacto com casos positivos.

No final de junho, foi a vez de António Costa ficar, novamente, em isolamento profilático. O primeiro-ministro foi colocado em quarentena por indicação das autoridades de saúde, depois de um membro do seu gabinete ter testado positivo à Covid-19. Foi um isolamento mais curto do que o primeiro, até porque a norma mudou em fevereiro deste ano, diminuindo o período temporal. Menos de uma semana depois, com um segundo teste negativo, as autoridades de saúde autorizaram que o líder do Governo retomasse a atividade fora da residência.

No início deste mês, foi a vez do ministro do Ambiente, João Pedro Matos Fernandes, também ficar em quarentena. O governante esteve em contacto com uma pessoa que testou positivo, e encontrava-se sem sintomas na altura, mas mesmo assim foi aconselhado pelas autoridades de saúde a ficar em isolamento. Matos Fernandes já tinha ficado em quarentena depois de Manuel Heitor, ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, ter testado positivo em outubro do ano passado.

Esta quinta-feira, chegou a vez da ministra da Agricultura. Segundo indicou o Ministério, Maria do Céu Antunes foi colocada em isolamento profilático, “após ter tido um contacto de risco com uma pessoa infetada com Covid-19”. A ministra está sem sintomas, tendo realizado um teste à Covid-19, com “resultado negativo”, mas fica “em isolamento profilático por determinação das autoridades de saúde”.

Já fora do Governo, mas com um papel importante na Saúde, também Graça Freitas ficou em isolamento. Não é a primeira vez que a diretora-geral da Saúde cumpre quarentena. Da última vez que o fez, esteve mesmo infetada com o SARS-CoV-2.

Quer os ministros, quer a diretora-geral da Saúde, já foram vacinados contra a Covid-19, o que previne a doença grave, mas não impede a 100% a infeção.

Assim, esta é a segunda vez que a Covid-19 ameaça os dirigentes do país. No final do ano passado e início deste ano, vários ministros ficaram em isolamento, mas o teste positivo chegou mesmo a alguns. Além do ministro Manuel Heitor, também Nelson de Souza (ministro do Planeamento), Ricardo Pinheiro (secretário de Estado do Planeamento), Ana Mendes Godinho (ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social), João Gomes Cravinho (ministro da Defesa) e João Leão (ministro das Finanças), estiveram infetados com coronavírus.

O Governo não é o único órgão de soberania a sofrer na “pele” as consequências mais diretas da pandemia. Esta semana, um deputado testou positivo à Covid-19, depois de ter estado na Assembleia da República. Segundo a Lusa, foram identificados e isolados 25 contactos de alto risco entre os parlamentares.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Quarta vaga da Covid-19 já isolou três membros do Governo

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião