Portugal entre os países onde salário médio compra menos litros de gasolina

No primeiro semestre, preço médio da gasolina era de 1,55 euros por litro. Um português que ganhe o salário médio compra 624 litros, mas há 32 países onde o salário médio enche mais o depósito.

O salário médio em Portugal permite comprar pouco mais de 600 litros de gasolina, o que coloca o país na 33.ª posição de um ranking liderado pela Suíça e elaborado pela plataforma polaca Picodi. Os portugueses conseguem comprar agora menos litros do que no primeiro semestre do ano passado, tendo como referência um salário médio de 968 euros.

O estudo da equipa de estatística do Picodi tem em conta o preço médio da gasolina por litro no primeiro semestre do ano, que se fixou em 1,55 euros. Depois, recorre a um valor do salário médio de 968 euros. Tendo em conta estes números, um português que receba o salário médio “poderá comprar 624 litros da gasolina”, calculou a plataforma.

É improvável que um cidadão esgote todo o salário médio a comprar combustível. Mesmo assim, estes dados permitem avaliar tendências.

Desde logo, os 624 litros de gasolina são uma queda face ao semestre homólogo de 2020, em que os portugueses poderiam comprar 669 litros com o salário médio. De recordar que, em 2020, a pandemia provocou uma queda brusca nos preços de petróleo ao longo de várias semanas consecutivas, o que contribuiu para preços mais baixos praticados no primeiro semestre desse ano, que também ficou marcado pela menor procura, por causa do confinamento.

A Suíça, com 3.582 litros, foi a líder pela terceira vez [neste ranking]. Luxemburgo (2.955 litros) e Dinamarca (2.328 litros) seguiram-se no pódio”, indica o estudo. E todos os outros países do sul da Europa estão em melhor posição que Portugal: Grécia (627 litros e 32.º), Itália (858 litros e 23.º) e Espanha (1.026 litros e 18.º).

“Abaixo de Portugal na lista estavam países como a Bulgária (587 litros e 34.º lugar), Turquia (494 litros e 35.º lugar) e Sérvia (440 litros e 37.º lugar)”, sendo que, a fechar o ranking, estão Albânia, Moldávia e Ucrânia, onde o salário médio equivale a 289, 358 e 389 litros de gasolina, respetivamente.

Portugal teve o 12.º maior aumento de preços

Face ao primeiro semestre de 2020, o preço médio da gasolina teve um aumento de 11,8% em Portugal, o que coloca o país na 12.º posição no que diz respeito ao aumento percentual.

O maior aumento deu-se na Hungria (20,2%) e o menor na Bulgária (0,7%). Apenas dois países tiveram recuos no preço da gasolina, Malta e Albânia, -4,8% e -5,4% respetivamente.

Entre os países do sul da Europa, foi Portugal que teve o maior aumento. Em Espanha, os preços aumentaram (9,3%), em Itália 5,5% e na Grécia 6,9%.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Portugal entre os países onde salário médio compra menos litros de gasolina

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião