Banco de Portugal rende 295 milhões, Caixa paga 200 milhões e Banco de Fomento também já dá dividendo

Banco de Portugal e Caixa continuam a dar "cheques" chorudos ao Governo. O Orçamento do Estado conta com 295 milhões do supervisor e 200 milhões do banco público. Banco de fomento dá 2,6 milhões.

Banco de Portugal e Caixa Geral de Depósitos (CGD) voltam a ser dois importantes contribuintes do Orçamento do Estado, com o Governo a contar receber 295 milhões de euros do banco central e 200 milhões do banco público no próximo ano. Também o recém-criado Banco Português de Fomento (BPF) vai dar um pequeno contributo de 2,6 milhões.

Ao todo, as três entidades vão dar dividendos ao Estado na ordem dos 500 milhões de euros. Os valores constam da proposta de Orçamento do Estado para 2022 que o ministro das Finanças entregou esta segunda-feira no Parlamento.

O supervisor da banca liderado por Mário Centeno (ex-ministro das Finanças) e também a Caixa têm sido uma relevante fonte de receitas no sentido ajudar o Governo a equilibrar as contas públicas.

Este ano, o Banco de Portugal pagou 428 milhões de euros (por conta do exercício de 2020) ao Governo sob a forma de dividendo, além dos 243 milhões que entregou em impostos. Ou seja, os 295 milhões previstos na proposta orçamental representam uma redução acentuada face ao habitual.

Quanto à Caixa, a instituição liderada por Paulo Macedo já pagou dividendos de 85 milhões de euros este ano, abaixo do esperado devido às restrições impostas pelo Banco Central Europeu (BCE) por causa do impacto da pandemia. Entretanto, os cofres públicos poderão receber mais 300 milhões do banco público em dividendos extraordinários, depois de o supervisor europeu ter levantado o travão aos dividendos na banca a partir deste mês.

Agora junta-se o BPF, criado em setembro de 2019. A instituição liderada por Beatriz Freitas ainda não apresentou contas, a atividade tem passado sobretudo pela concessão de garantias para os empréstimos de emergência durante a pandemia. O valor do dividendo é simbólico.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Banco de Portugal rende 295 milhões, Caixa paga 200 milhões e Banco de Fomento também já dá dividendo

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião