Turismo dispara em agosto, mas receitas estão 20% abaixo de 2019

Registaram-se 2,5 milhões de hóspedes e 7,5 milhões de dormidas em Portugal em agosto de 2021, de acordo com os dados do INE. Atividade turística continua abaixo dos níveis pré-pandemia.

A atividade turística continuou a recuperar em agosto, havendo registo de 2,5 milhões de hóspedes e de 7,5 milhões de dormidas, segundo os dados do Instituto Nacional de Estatística (INE). Mesmo assim, num cenário de novo recorde na procura interna neste típico mês de verão, as receitas ficaram 20% abaixo das obtidas no mesmo mês de 2019, antes da pandemia.

“O setor do alojamento turístico registou 2,5 milhões de hóspedes e 7,5 milhões de dormidas em agosto de 2021″, escreve o gabinete de estatísticas, salientando que se trata de um crescimento de 35,4% e de 47,6%, respetivamente. Ainda assim, face a julho de 2019, o número de hóspedes e de dormidas diminuiu 23,6% e 22,1%, respetivamente.

A impulsionar a recuperação da atividade turística em Portugal esteve a procura interna. Em agosto, os turistas residentes contribuíram com 4,2 milhões de dormidas, “o valor mensal mais elevado desde que há registos”, sublinha o instituto de estatísticas, sinalizando que se trata de um crescimento de 22,6% face a 2019. Em contrapartida, no que toca aos turistas estrangeiros, estes representaram 3,3 milhões de dormidas, uma quebra de 46,9% face a 2019.

Além disso, também os proveitos nos alojamentos turísticos aumentaram face ao ano passado, tendo atingido os 515,8 milhões de euros no total e 410,2 milhões de euros relativamente a aposento. Porém, comparativamente com agosto de 2019, os proveitos totais diminuíram 19,2% e os relativos a aposento caíram 19,3%.

No acumulado do ano, entre janeiro e agosto de 2021, os estabelecimentos de alojamento turístico registaram proveitos totais de 1.273 milhões de euros, o que representa um aumento de 25% face a igual período de 2020, mas uma quebra de 57,1% face ao mesmo período de 2019.

Dormidas de residentes aumentaram em todas as regiões. Algarve domina preferência

Quanto às regiões, as dormidas de residentes aumentaram em todas as regiões do país. Em agosto, o Algarve continuou a dominar a preferência dos portugueses (36,7%), seguido pela Área Metropolitana de Lisboa (AML), pelo Norte (15,2%) e pelo Centro (12,2%).

Já no acumulado do ano, isto é, entre janeiro e agosto, quase todas as regiões apresentaram crescimentos, com especial destaque para os Açores (95,1%). Neste contexto, apenas a Área Metropolitana de Lisboa apresentou uma quebra de 9,9% nas dormidas. Neste contexto, nos primeiros oito meses deste ano, as dormidas de residentes aumentaram em todas as regiões, com especial destaque para a Madeira (+117,6%), Açores (99,2%) e Algarve (38,9%), à semelhança do que aconteceu com as dormidas dos não residentes, com especial enfoque nos Açores (87,3%), Alentejo (5,2%), Madeira (4,9%) e Centro (3,3%).

(Notícia atualizada pela última vez às 11h59))

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Turismo dispara em agosto, mas receitas estão 20% abaixo de 2019

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião