Avaliação bancária bate novo recorde de 1.236 euros/m2 em setembro

O valor mediano a que a banca está a avaliar os imóveis para efeitos de concessão de crédito voltou a subir em setembro. Atingiu 1.236 euros por metro quadrado, fixando um novo máximo histórico.

O valor do metro quadrado avaliado pelos bancos na hora de conceder crédito à habitação voltou a subir em setembro, atingindo um novo recorde. Segundo o INE, o valor mediano apurado no inquérito à avaliação bancária na habitação para o total do país aumentou em 15 euros no mês passado, fixando-se em 1.236 euros por metro quadrado, um novo recorde, depois de ter estagnado em máximos no mês anterior, avançou o instituto.

O valor mediano de avaliação bancária foi 1.236 euros em setembro, mais 15 euros que o observado no mês precedente. Em termos homólogos, a taxa de variação situou-se em 9,6% (8,2% em agosto)”, salienta o INE esta quarta-feira.

Entre agosto e setembro, o maior aumento voltou a registar-se na Região Autónoma da Madeira (1,8%), tendo a Região Autónoma dos Açores apresentado a única descida (-0,9%). Comparando com igual período do ano passado, o valor médio das casas cresceu 9,6%.

Valor Mediano de Avaliação Bancária de Habitação em setembro de 2021 (valores em euros/m2)Fonte: INE

Em setembro, o valor mediano de avaliação bancária dos apartamentos fixou-se em 1.369 euros por metro quadrado, uma subida de 11% face a setembro de 2020. Comparativamente com agosto, o valor de avaliação dos apartamentos subiu 1%, tendo a região Norte apresentado a maior subida (1,9%), sendo que as restantes regiões apresentaram aumentos menos significativos.

O valor mediano da avaliação para apartamentos T2 subiu 21 euros, para 1.402 euros por metro quadrado, e o T3 subiu quatro euros, para 1.221 euros por metro quadrado. No seu conjunto, estas tipologias representaram 80,5% das avaliações de apartamentos.

Quanto às moradias, o valor mediano da avaliação bancária das moradias fixou-se nos 998 euros por metro quadrado em setembro, uma subida de 4,5% face ao mesmo mês do ano anterior. Comparativamente a agosto, o valor de avaliação das moradias aumentou 1,1%, sendo que a Área Metropolitana de Lisboa apresentou o crescimento mais significativo (2,4%), enquanto a Região Autónoma dos Açores apresentou a única descida (-1,5%).

Comparativamente com agosto, as tipologias T2, T3 e T4 representam 89,1% das avaliações das moradias, tendo atingido os 930 euros por metro quadrado (mais sete euros), os 988 euros por metro quadrado (também mais sete euros) e 1.049 euros por metro quadrado (mais 11 euros), respetivamente.

Em termos regionais, “o Algarve, a Área Metropolitana de Lisboa, o Alentejo Litoral, a Região Autónoma da Madeira e a Área Metropolitana do Porto apresentaram valores de avaliação superiores à mediana do país (34%, 33%, 4%,3% e 1% respetivamente)”, adianta ainda o INE, acrescentando, que, em contrapartida, o Alto Tâmega foi a região do país que apresentou o Índice do valor mediano de avaliação bancária mais baixo em relação à mediana do país.

(Notícia atualizada pela última vez às 12h02)

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Avaliação bancária bate novo recorde de 1.236 euros/m2 em setembro

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião