S&P 500 e Dow Jones afastam-se de máximos. Nasdaq na linha de água

Os resultados das cotadas dominaram a negociação bolsista em Wall Street. Apesar de parte do setor tecnológico estar em alta, nem o Nasdaq conseguiu uma subida nesta sessão.

O S&P 500 e o Dow Jones desvalorizaram na sessão desta quarta-feira, após terem alcançado máximos na sessão anterior. Nem os bons resultados trimestrais das tecnológicas permitiram subidas em Wall Street, com o Nasdaq a fechar praticamente inalterado. A desvalorização das ações da Visa, da General Motors, do Twitter, da Boeing e da Robinhood levaram à queda dos índices.

O Dow Jones, que desce pela primeira vez em quatro sessões, caiu 0,74% para os 35.490,69 pontos, assim como o S&P 500 que cedeu 0,51% para os 4.551,68 pontos. O Nasdaq, que está cerca de 1% abaixo do recorde atingido a 7 de setembro, subiu 0,12 pontos para os 15.235,84 pontos, o que na prática dá uma variação de 0%.

Entre as cotadas que pressionaram os principais índices norte-americanos está a Visa. A empresa norte-americana de serviços financeiros caiu mais de 6% após ter revelado previsões de receita que alguns analistas consideraram conservadoras. Acresce que foi noticiado que o departamento da justiça norte-americano está a investigar a relação da Visa com fintechs no âmbito das leis da concorrência.

Também as ações da General Motors desceram mais de 4%, apesar de a fabricante de automóveis ter superado as estimativas dos analistas, e a Boeing caiu mais de 1%, mesmo depois de a fabricante de aviões ter registado um pequeno lucro graças a mais entregas do modelo 737 MAX. Nota ainda para o Twitter cujas ações desceram 9% ao ter divulgado prejuízos de 537 milhões de euros e para a Robinhood (plataforma de trading) que caiu mais de 10% depois de ter revelado receita abaixo do esperado devido ao mau desempenho da negociação de criptoativos.

No setor tecnológico, os resultados foram mais positivos para a Microsoft e a Alphabet. As ações da Microsoft valorizaram 5% após a empresa fundada por Bill Gates ter previsto um forte fecho das contas este ano, ajudadas pela expansão do negócio da cloud. A Alphabet subiu mais de 5% depois de ter revelado que atingiu um lucro recorde, com as vendas de anúncios a disparar.

Por fim, é de notar a valorização superior a 2% das ações da McDonalds no dia em que a cadeia de fast food anunciou um crescimento de 12,2% das vendas a nível mundial.

Os resultados das cotadas em Nova Iorque deverão continuar a marcar o andamento dos índices uma vez que muitas empresas ainda vão divulgar as suas contas nos próximos dias. De acordo com os dados da Refinitiv/Reuters, os lucros das cotadas do S&P 500 deverão crescer 35,6% em termos homólogos no terceiro trimestre. Das cotadas que já apresentaram resultados, 83% superaram as expectativas de lucro e 79% superaram as expectativas de receita.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

S&P 500 e Dow Jones afastam-se de máximos. Nasdaq na linha de água

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião