5 formas para poupar nas comissões da banca

  • Joana Abrantes Gomes
  • 30 Outubro 2021

Face ao agravamento das comissões bancárias, o ECO falou com o gabinete de Proteção Financeira da DECO para reunir algumas estratégias de evitar alguns custos de serviços bancários.

A procura dos bancos por fontes de receitas face ao momento de juros baixos do Banco Central Europeu (BCE) tem levado a uma subida generalizada das comissões bancárias. Da manutenção da conta aos levantamentos no balcão, poucos serviços escapam a este aumento, sendo que as transferências de dinheiro através da internet – o chamado homebanking – e do telemóvel – como a partir do MB Way – representam um encargo cada vez mais pesado para as carteiras dos clientes.

Para se saber os custos associados às comissões bancárias, os clientes devem consultar o extrato de comissões. Trata-se de um documento que contém informação sobre todas as comissões cobradas no ano anterior pelos serviços associados à conta, podendo ser enviado por correio ou e-mail, ou consultado através do homebanking ou da app do seu banco.

Porém, acedendo ao comparador de comissões do Banco de Portugal, é possível aos clientes comparar os custos das comissões em cada instituição bancária nacional, tradicional ou online, relativas a serviços associados a contas de pagamento, nomeadamente com a manutenção de conta, a disponibilização de cartões de débito e de crédito, o levantamento de numerário, ou a aquisição de cheques e transferências.

Apesar de não haver forma de escapar a vários desses encargos, há algumas estratégias às quais os clientes bancários podem recorrer para contornar aqueles que são prescindíveis. Nesse sentido, o ECO falou com o gabinete de Proteção Financeira da DECO para saber como poupar nas comissões à banca.

Criar uma conta de serviços mínimos

A conta de serviços mínimos bancários, ou low cost, é uma conta à ordem que permite ao respetivo titular aceder a um conjunto de serviços bancários considerados essenciais a custo reduzido. São, por isso, uma alternativa às contas à ordem tradicionais, já que permitem poupar dezenas de euros por ano a quem tem apenas uma conta à ordem.

O cliente que aderir a este tipo de conta tem acesso a um cartão de débito, à realização de transferências intrabancárias e interbancárias, por uma comissão que não pode exceder 1% do valor do salário mínimo nacional ao final de um ano. Ou seja, o respetivo custo anual não pode ultrapassar 4,38 euros, informa a DECO. No entanto, este serviço está limitado a quem tenha uma única conta bancária, fora algumas exceções previstas na lei.

Optar por uma conta pacote em vez de serviços separados

A contratação de uma conta pacote pode permitir reduzir os custos com comissões bancárias por largas dezenas de euros a cada ano, quando comparada com o pagamento individual de produtos. As contas pacote agregam um conjunto de serviços, sendo cobrada uma única comissão. No entanto, o valor destes pacotes de produtos pode não compensar para alguns clientes, sendo variável entre as demais instituições financeiras do país.

Evitar ir ao balcão, fazendo tudo online

Há vários bancos que cobram comissões adicionais aos consumidores que, por exemplo, preferem receber a documentação bancária em papel em vez de em formato digital. Para fugir a esta despesa, a DECO aconselha aos clientes que adiram à informação em formato digital, seja através do homebanking ou das aplicações digitais dos bancos.

Preferir os bancos online ou pequenos aos tradicionais

Criar conta num banco online é uma das formas mais conhecidas para escapar a pelo menos alguns encargos com comissões. Bancos que operam apenas na internet, como o BiG ou o ActivoBank, cobram menos comissões que as instituições financeiras tradicionais, visto que não têm o mesmo peso estrutural de custos que os bancos com balcões. Para quem deseja ver-se livre de custos associados, por exemplo, à manutenção de conta e anuidade da mesma, há seis bancos pequenos ou online sem qualquer custo de anuidade do cartão: o Openbank (do Grupo Santander), o BiG, o ActivoBank, o Best Bank, o Banco BNI Europa e o Banco Atlântico Europa.

Domiciliar o ordenado

Ainda que não seja uma prática muito comum, há bancos que podem isentar algumas comissões bancárias, geralmente relativas a serviços ou produtos mais básicos (como a manutenção de conta ou o cartão de débito), caso o titular da conta opte por aí domiciliar o ordenado, a pensão ou um rendimento fixo. No espanhol Bankinter, por exemplo, dá até para domiciliar o ordenado e ainda receber juros por isso. Os bancos online Best, BiG e ActivoBank, a par com os CTT, continuam a isentar os clientes da manutenção de conta sem ser sequer necessário preencher nenhum requisito.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

5 formas para poupar nas comissões da banca

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião