Startup do Porto quer revolucionar a privacidade online

Francisco Castro e Diogo Lopes criaram a aplicação Super Agent que permite melhorar a experiência do utilizador na Internet e devolver às pessoas o poder de decidir o que é feito com os seus dados.

A Super Agent, startup portuguesa que gere automaticamente as preferências de cookies, chegou ao mercado no início do ano e já conta com cem mil utilizadores internacionais. Americanos, alemães e Italianos são os principais utilizadores. A app está disponível a uma escala internacional para dispositivos com iOS 15 e já foi recomendada pela Apple em mais de 134 países como uma ferramenta must-have. Em apenas duas semanas, a app foi classificada entre as top 20 utilities.

A ideia de criar a startup Super Agent nasceu em agosto do ano passado quando Francisco Leite de Castro estava a jantar com um amigo. “Estávamos a conversar como hoje em dia, a experiência de navegação na Internet é má e lenta. A Internet já não tem a acessibilidade que tinha antigamente e as maiores causas disto são os pop-ups para os cookies”, conta ao ECO, o jovem empreendedor.

Diagnosticado o problema, Francisco Leite de Castro começou a pensar em resolver duas questões: “Melhorar a experiência do utilizador na internet e devolver o poder às pessoas de decidir o que é feito com os seus dados”.

Francisco Leite de Castro convidou Diogo Minhava Lopes para abraçar o projeto e para juntos desenvolverem a aplicação. Ambos despediram-se dos trabalhos para dedicarem-se de corpo e à alma à Super Agent. “Quando a ideia surgiu fez tanto sentido que mergulhei quase de cabeça“, conta ao ECO, Francisco Leite de Castro.

Os portuenses conheceram-se no secundário e apesar de só terem 30 anos já contam com um currículo invejável. Diogo Minhava Lopes é formado em engenharia eletrotécnica pela Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (FEUP) e na sua curta carreira profissional trabalhou cinco anos na Microsoft e cerca de um ano na Amazon. Francisco Leite de Castro desistiu no segundo ano do curso de Ciências de Computadores da Faculdade de Ciências da Universidade do Porto (FCUP), mas nada o impediu de trabalhar na área tecnológica. Tem experiência internacional na área financeira e consultoria e trabalhou dois anos e meio na startup americana North Music Group.

Diogo Minhava Lopes e Francisco Leite de Castro são os fundadores da Super Agent.A missão da startup é tornar a privacidade simples, dando o poder aos utilizadores de decidirem quando e como pretendem ser monitorizados, garantindo que as suas preferências são automaticamente aplicadas sem esforço. “Desenvolvermos uma extensão que permite ao utilizador decidir apenas uma vez que tipo de cookies quer aceitar ou rejeitar. Quando o usuário entra num website a extensão aplica as preferências dos utilizadores automaticamente e esconde esse pop-up“, explica Francisco Leite de Castro.

A startup permite a personalização das definições de cookies e o preenchimento automático dos formulários. Desta forma, garante uma navegação mais rápida (e suave) na internet que elimina os pop-ups e prioriza o controlo sobre as preferências de privacidade do utilizador e cibersegurança.

Com uma taxa de crescimento média de 250% nos últimos seis meses, a Super Agent tem assistido a uma procura global e progressiva dos seus serviços: só nos últimos três meses o número de utilizadores multiplicou por 100. Até ao final do ano, os fundadores querem chegar aos 200 mil utilizadores.

No primeiro semestre do ano, a startup portuguesa angariou cerca de 300 mil dólares (259 mil euros) através de SAFE Notes. O investimento foi liderado pela Shilling em conjunto com a Accel Scout Program e investidores de renome como Benedikt Franke, CEO da Planetly, Torben Schultz, COO da Rows.com e Rasty Turek, CEO da Pex.com. “Desistimos os dois dos nossos trabalhos. Para levantar uma ronda existe um dever perante os investidores de dedicação a 100% ao projeto”, sublinha Francisco Castro.

A gestão automática de passwords e integração dos serviços de privacidade online são alguns dos recursos que a startup projeta no plano de desenvolvimento futuro.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Startup do Porto quer revolucionar a privacidade online

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião