Há 16 investigadores portugueses entre os mais influentes do mundo

EUA, China, Reino Unido, Austrália e Alemanha são os países mais representados no ranking Highly Cited Researchers 2021.

Há 16 portugueses ligados a instituições de ensino superior nacionais na lista dos investigadores mais influentes do mundo, mais seis do que na edição anterior, de acordo com o índice Highly Cited Researchers 2021, elaborado pela Clarivate Analytics. A Universidade do Porto é a instituição de ensino superior nacional com maior número de investigadores listados no índice.

Todos os anos a empresa norte-americana especializada em gestão de informação científica reconhece os cientistas mais influentes a nível mundial, referenciados no repositório Web of Science, o maior indexador mundial de informação científica, com base no número de citações das respetivas publicações pelos seus pares. Este ano a lista destaca um total de mais de 6.000 cientistas.

Ao nível de instituições de ensino nacionais, a Universidade do Porto é a instituição portuguesa mais representada, com um total de quatro investigadores, entre eles está Adrián Silva, Ana Rita Ribeiro, Lúcia Guilhermino e Manuel Simões.

Para além dos quatro investigadores da Universidade do Porto, a lista inclui ainda investigadores ligados às universidades de Aveiro (2), Lisboa (1), Minho (2), Nova de Lisboa (1), Universidade de Évora (1) e Católica Portuguesa (1), Politécnico de Bragança (2), Politécnico do Porto (1) e ao Laboratório Ibérico Internacional de Nanotecnologia (1).

Os investigadores do Departamento de Química da Universidade de Aveiro (UA) Jorge Saraiva e Armando Duarte integram a edição 2021 do índice “Highly Cited Researchers”.

José António Teixeira e António Vicente, do Centro de Engenharia Biológica (CEB) da Universidade do Minho, estão entre os cientistas mais citados no mundo por outros investigadores. Este é o quarto ano consecutivo que a dupla da Universidade do Minho surge na área das ciências agrárias.

O investigador da Universidade Nova de Lisboa, Tiago Oliveira, integra o índice. Também em Lisboa, José Bioucas-Dias, que faleceu recentemente, é um dos nomeados. Era professor no Instituto Superior Técnico.

Miguel Bastos Araújo da Universidade de Évora, que já foi galardoado no passado com o Prémio Pessoa, também está na lista dos cientistas mais influentes do mundo.

Do Politécnico de Bragança as investigadoras nomeadas são: Lillian Barros, investigadora do Centro de Investigação de Montanha no Instituto Politécnico de Bragança e Isabel Ferreira, mentora do Laboratório Colaborativo MORE – Montanhas de Investigação.

José António Tenreiro Machado é o investigador nomeado do Politécnico do Porto, enquanto Célia Manaia, investigadora do Centro de Biotecnologia e Química Fina (CBQF) da Universidade Católica Portuguesa no Porto integra a lista dos nomeados.

Por fim, Miguel Ângelo Cerqueira, investigador do Laboratório Internacional Ibérico de Nanotecnologia, está entre os investidores mais influentes do mundo.

A lista elaborada pela Clarivate Analytics é composta por um total de 6.602 cientistas provenientes de 70 países e 21 áreas de investigação. EUA (2.622 cientistas), China (935), Reino Unido (492), Austrália (332) e Alemanha (331) são os países mais representados no ranking deste ano. Já a Universidade de Harvard (EUA) é a instituição mais representada, com 214 investigadores entre os mais citados do mundo.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Há 16 investigadores portugueses entre os mais influentes do mundo

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião