“Maré vermelha” na bolsa de Lisboa. Papeleiras lideram quedas

Lisboa arranca a sessão no "vermelho", em linha com as restantes praças europeias. Maioria das cotadas do PSI-20 registam perdas, especialmente as papeleiras.

A bolsa de Lisboa arrancou a segunda sessão da semana em terreno negativo, com a maioria das cotadas registarem perdas. As papeleiras estão a protagonizar as maiores quedas, num dia em que só quatro cotadas negoceiam acima da linha de água.

O PSI-20 desvaloriza 0,47%, para 5.493,55 pontos. Nas demais praças europeias, o Stoxx 600 cai 0,72%, para 482,58 pontos; o francês CAC-40 recua 0,64%, para 7.061,24 pontos; o alemão DAX perde 0,78%, para 15.989,67 pontos; e o espanhol IBEX-35 desce 0,55%, para 8.775,10 pontos.

Lisboa acompanha assim a tendência europeia, estando os investidores preocupados com a subida do número de casos de Covid-19 na Europa e a expectativa de que possam avançar novos confinamentos gerais, incluindo na Alemanha.

Em destaque na sessão estão as papeleiras, que lideram as perdas no principal índice nacional. Os títulos da Semapa caem 1,65%, para 11,94 euros, e os da Navigator perdem 1,28%, para 3,234 euros. Já as ações da Altri recuam 0,47%, para 5,285 euros.

No entanto, são as elétricas que mais pesam em Lisboa. As ações da EDP recuam 0,71%, para 4,7340 euros, enquanto as da EDP Renováveis caem 0,36%, para 21,94 euros, e as da Greenvolt perdem 0,65% para 6,09 euros

Evolução das ações da EDP em Lisboa:

No “vermelho” está também a Sonae, cujos títulos desvalorizam 1,09%, para 1 euro. Em contrapartida, no setor do retalho, as ações da Jerónimo Martins somam 0,23%, para 19,465 euros, impedindo uma maior queda do PSI-20. A dona do Pingo Doce é uma das quatro cotadas que escapam à “maré vermelha”.

Entre elas está a Ramada Investimentos, cujos títulos avançam 1,54%, para 6,60 euros, dias depois de ter anunciado que o lucro cresceu quase 132% até setembro.

Além disso, os títulos da Galp Energia somam 0,23%, para 8,65 euros, num dia em que o Brent está a desvalorizar em Londres em torno de 0,4%, travando as perdas na bolsa de Lisboa. Destaque ainda para o BCP, cujos títulos avançam 0,35%, para 14,48 cêntimos.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

“Maré vermelha” na bolsa de Lisboa. Papeleiras lideram quedas

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião