Iberdrola subiu preços para novos clientes este ano. Vai baixá-los em 2022 por via das tarifas de acesso

Para 2022, o regulador propõe quedas na tarifa de acesso às redes desde -52% até-94%. Isto "contribui para uma diminuição de cerca de -35%, em termos médios, na fatura dos consumidores", diz a ERSE.

A Iberdrola anunciou que vai baixar os preços da eletricidade que vende no mercado liberalizado. A empresa espanhola conseguirá contas da luz mais baixas para os clientes unicamente por via da grande redução das tarifas de acesso às redes (uma componente importante da fatura final) decididas pela ERSE, que entrarão em vigor para todos os consumidores a 1 de janeiro de 2022.

“A Iberdrola informa que todos os seus clientes, sem exceção, poderão beneficiar a partir de 1 de janeiro das previstas reduções das tarifas de acesso já comunicadas pela ERSE no dia 15 do mês passado”, disse ao ECO fonte oficial da elétrica, acrescentando que o aviso final da redução será comunicado aos clientes “assim que sejam publicados os valores oficiais” pela entidade reguladora, em 15 de dezembro.

Em linhas gerais, a Iberdrola prevê descer os preços da eletricidade para “todos os seus clientes” através da aplicação das novas tarifas de acesso às redes, que têm um grande peso no valor final da fatura. Para 2022 o regulador propõe descidas na tarifa de acesso às redes que vão desde os -94% na média, alta e muito alta tensão, passando por -65,6% na baixa tensão especial e -52,2% na baixa tensão normal.

Na prática, segundo a ERSE, só isto “contribui para uma diminuição de cerca de -35%, em termos médios, na fatura final dos consumidores do mercado liberalizado”.

Já depois da publicação desta notícia, fonte oficial da Iberdrola prestou esclarecimentos adicionais, afirmando que em 2021 “para renovações contratuais e novos contratos, casos houve onde se verificaram ajustes que refletem apenas a pressão verificada nos mercados grossistas”. No entanto, garante, “não houve qualquer aumento para a carteira em período contratual”.

Durante este ano, a Iberdrola foi a primeira comercializadora a admitir que, mantendo-se o cenário de elevada pressão nos preços grossistas, teria de “refletir, na menor medida possível, ajustes mediante uma revisão de valores”. Uma subida de preços que também foi admitida pela Endesa na mesma altura.

Ao ECO, fonte da Endesa confirmou também depois da publicação da notícia que, à semelhança da Iberdrola, manteve inalterados os preços dos contratos que já estavam em vigor, mas aumentou os preços para os novos contratos.

Na semana passada, a EDP (que não mexeu nos preços este ano) anunciou aumentos médios dos preços da luz para os seus clientes de 2,4% em 2022 e a Endesa adiantou que irá manter os preços da eletricidade para as famílias e pequenos negócios em 2022.

Em setembro, a Iberdrola apresentava uma quota de mercado em termos de clientes de 6,3%, um valor igual em termos de consumo abastecido, sendo o terceiro operador depois das concorrentes EDP Comercial e da Endesa.

Endesa mantém preços da atual carteira de clientes

Apesar de ter dito que mantém os preços em 2022, o mesmo acabará por acontecer com a Endesa, que respondeu ao ECO que qualquer “revisão será definida em conformidade com a evolução dos mercados”. Para famílias e pequenos negócios, a elétrica espanhola irá manter os preços na atual carteira de clientes, a partir 1 de janeiro mas também estes acabarão acabarão por sentir uma descida nas faturas por via das tarifas de acesso às redes.

Uma novidade que a Endesa traz do país vizinho é a possibilidade de “contratar a Tarifa Tranquilidade, para ter um preço estável, durante 5 anos” no segmento residencial”.

Para as empresas, “todos os contratos que vierem a terminar no decorrer do ano de 2022 serão revistos em conformidade com a evolução dos mercados grossistas”, diz a Endesa.

Quanto à Galp e à Goldenergy, ambas recusaram revelar para já as suas estratégias. “A Galp não faz comentários sobre a atualização dos preços de eletricidade”, disse fonte oficial ao ECO. E a Goldenergy ainda não definiu tarifários para 2022, afirmou também uma fonte oficial.

A evolução dos preços da eletricidade no próximo ano resulta do impacto negativo da subida do preço nos mercados grossistas, que atingiu valores recorde este ano, e pelo contrário, do impacto positivo da redução das tarifas de acesso às redes para as famílias e pequenos negócios, que será de -52,2%, conforme anunciou o regulador em 15 de outubro.

De acordo com dados da ERSE, em setembro de 2021, o mercado livre representa mais de 86% do número total de clientes e cerca de 95% do consumo em Portugal Continental, exibindo um aumento de 1,2 pontos percentuais e de 0,4 pontos percentuais, respetivamente, relativamente ao peso relativo do mês homólogo. No mesmo mês, manteve a quase totalidade dos fornecimentos a grandes consumidores.

(Notícia atualizada às 17h21 com mais esclarecimentos prestados pela Iberdrola e Endesa)

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Iberdrola subiu preços para novos clientes este ano. Vai baixá-los em 2022 por via das tarifas de acesso

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião