Endesa quer ser 100% renovável até 2040, vai abandonar o carvão em 2027

O novo plano estratégico pata 2022-2024 da elétrica espanhola fixa o montante a investir até 2030 em 31 mil milhões de euros, o que representa um aumento de 22%.

A elétrica espanhola Endesa, a segunda maior comercializadora de eletricidade em Portugal, anunciou esta semana que quer ser uma empresa 100% renovável até 2040, de acordo com a meta também anunciada pela sua empresa-mãe Enel.

Para isso, o novo plano estratégico 2022-2024 fixa o montante a investir por ano nos próximos três anos em 7,5 mil milhões na Península Ibérica, sendo 80% são destinados a energias renováveis e redes de distribuição. Já até 2030 serão investidos um total de 31 mil milhões de euros, o que representa um aumento de 22%.

“Com esta atualização do plano estratégico, acompanhada por uma visão renovada para 2030 e um novo objetivo de descarbonização completa até 2040, a Endesa pretende manter a sua liderança no mercado ibérico. O prazo para se tornar uma empresa totalmente livre de emissões é sustentado por uma sólida carteira de projetos renováveis num total de 80 gigawatts. Acompanharemos a realização deste objetivo com um forte empenho na eletrificação do consumo, disse o CEO da Endesa, José Bogas, na apresentação do plano.

A atualização da estratégia de transição energética até meados da década baseia-se em vários pilares: 48% de crescimento da capacidade instalada de fontes renováveis, até 12.300 MW; 92% da produção peninsular da Endesa livre de emissões de CO2 até ao final de 2024; e um investimento em energias renováveis de 3,1 mil milhões de euros.

Desta forma, a nova capacidade renovável a acrescentar ao mix energético da Endesa totalizará 4.000 MW, 90% dos quais serão solares e o resto eólico. A empresa atingirá 12,3 mil MW de energia solar, eólica e hídrica no final do plano, crescendo 48%.

O portefólio de projetos renováveis da Endesa aumentou mais do triplo para 80 gigawatts em comparação com o plano anterior. Desta carteira, 63% correspondem a instalações solares, 19% a projetos de armazenamento e mais 12% a parques eólicos. Neste momento, a Endesa tem 2 gigawatts em construção e outros 9 gigawatts numa fase de maturidade elevada.

A Endesa também aumentou o investimento no seu negócio de comercialização em 25% para 500 milhões de euros entre 2022 e 2024, com vista a aumentar a carteira de clientes no mercado livre para 5,8 milhões.

Descarbonização total até 2040

Diz a Endesa que isto será conseguido com base em quatro linhas principais de ação:

  • A implantação de novas capacidades renováveis para tornar toda a atividade de produção (dentro e fora da Península Ibérica) 100% livre de emissões, a partir de 40% em 2021 e uma estimativa de 70% em 2030;
  • A hibridização de instalações renováveis com tecnologias de armazenamento e de produção de hidrogénio verde;
  • A saída do negócio do carvão em 2027 e da produção de eletricidade a partir do gás em 2040;
  • A saída do negócio do comércio a retalho de gás;

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Endesa quer ser 100% renovável até 2040, vai abandonar o carvão em 2027

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião