Dívida pública desce pelo quarto mês consecutivo e está no valor mais baixo desde janeiro

A dívida pública, na ótica de Maastricht, desceu 310 milhões de euros em outubro, para 271,2 mil milhões de euros.

A dívida pública, na ótica de Maastricht (a que interessa a Bruxelas), encolheu 310 milhões de euros em outubro, para 271,2 mil milhões de euros — o valor mais baixo desde janeiro deste ano –, segundo os dados divulgados esta quinta-feira pelo Banco de Portugal (BdP). É o quarto mês consecutivo em que o endividamento das administrações públicas desce face ao mês anterior.

Esta redução refletiu, essencialmente, amortizações de títulos de dívida no valor de 0,5 mil milhões de euros“, explica o banco central na nota de informação estatística.

Dívida pública desce e atinge valor mais baixo desde janeiro

Fonte: Banco de Portugal.

O rácio da dívida pública no terceiro trimestre foi de 130,9% do PIB, abaixo dos 131,4% do PIB estimados inicialmente o PIB cresceu 4,2% em termos homólogos no terceiro trimestre. É o valor mais baixo desde o segundo trimestre de 2020, altura em que a Covid-19 chegou a Portugal. Este rácio atingiu o valor máximo no primeiro trimestre deste ano, nos 139,1% do PIB, por causa da contração do PIB em resultado do segundo confinamento.

Esta queda do peso da dívida pública é explicada não só pelo aumento do PIB (denominador), graças à retoma económica do terceiro trimestre na sequência do desconfinamento, mas também pela redução do stock de endividamento. Com um PIB maior e uma dívida ligeiramente menor, o rácio de endividamento — que é um dos principais indicadores para aferir a sustentabilidade da dívida pública — voltou a cair.

A previsão do Governo passa por chegar ao final do ano com um rácio da dívida pública de 126,9% do PIB, de acordo com as projeções que constavam na proposta de Orçamento do Estado para 2022 (OE 2022), que reprovou no Paralamento. Esta previsão tinha subjacente um crescimento anual da economia de 4,8% e um défice orçamental de 4,3% do PIB em 2021.

Sobre os dados mensais, os números do banco central revelam ainda que os ativos em depósitos das administrações públicas — a chamada “almofada financeira” — diminuíram 2,6 mil milhões de euros para 20 mil milhões de euros. Assim, a dívida pública líquida de depósitos aumentou 2,3 mil milhões de euros em relação ao mês anterior, totalizando 251,2 mil milhões de euros.

A próxima atualização dos dados do endividamento público ocorre a 2 de janeiro.

(Notícia atualizada às 11h54 com mais informação)

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Dívida pública desce pelo quarto mês consecutivo e está no valor mais baixo desde janeiro

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião