TAP permite mudar reservas sem custos por causa da nova variante

TAP flexibiliza mudanças nos voos numa fase em que as vendas já estão "a abrandar um pouco" devido à Ómicron. Companhia começa a implementar plano de reestruturação antes da "luz verde" de Bruxelas.

As vendas da TAP voltaram a abrandar devido ao aparecimento da nova variante da Covid, a Ómicron, o que levou a companhia aérea a flexibilizar todas as reservas. Desde esta quarta-feira, 1 de dezembro, todas as reservas podem ser alteradas sem qualquer taxa.

Desde setembro que a companhia aérea nacional notou um “crescimento muito grande” nas vendas, sobretudo com a abertura das fronteiras com o Brasil e os Estados Unidos, que são dois mercados importantes para a TAP. Atualmente, a empresa opera 80% da capacidade de 2019, “o que é uma boa percentagem”, disse Sílvia Mosquera, Chief Commercial & Revenue Officer (CCRO) da TAP, esta quinta-feira, durante o 46.º Congresso da Associação de Agências de Viagens e Turismo (APAVT).

Contudo, o aparecimento da Ómicron voltou a abanar o setor. “Com esta nova variante, as vendas estão a abrandar um pouco. Tivemos de suspender os voos com Marrocos e Moçambique, o que não são boas notícias”, assumiu a responsável, notando que “a prioridade é sempre a segurança dos passageiros”. “Por isso, temos de acatar as medidas da melhor maneira possível”, acrescentou.

Afirmando que, neste momento, o mais importante é dar “flexibilidade” aos clientes, a TAP implementou, desde esta quarta-feira, uma nova política de alteração de reservas, aliviando qualquer custo para os passageiros, revelou Sílvia Mosquera. “Aumentámos a flexibilidade em todas as tarifas, todas são super flexíveis, com zero taxas de mudanças”.

Esta política, de acordo com a informação que consta no site da TAP, aplica-se às reservas feitas entre 1 de dezembro de 2021 e 28 de fevereiro de 2022, permitindo ao cliente “alterar a data e destino gratuitamente”. Contudo, lê-se, “diferenças tarifárias serão aplicadas, caso existam”. Mais detalhes podem ser consultados aqui.

“É isto que temos de dar aos clientes devido às circunstâncias atuais”, insistiu a CCRO, referindo-se às medidas decretadas adotadas pelo Governo na sequência do aumento de casos de infeção e do aparecimento da nova variante da Covid.

Aprovação de Bruxelas seria “presente de Natal”

Sobre o plano de recuperação da TAP, a gestora disse que a empresa está “otimista” quanto à aprovação por parte da Comissão Europeia, esperando que até ao final do ano haja essa “luz verde”. “Pode ser um presente de Natal para a TAP e para Portugal. Precisamos dessa aprovação porque a TAP é muito importante para o país”, contextualizou.

Enquanto o parecer de Bruxelas não chega, Sílvia Mosquera adiantou que a companhia aérea já começou a implementá-lo. “Não estamos parados. Estamos a implementar esse plano porque pensamos que será aprovado. Já estamos a trabalhar em todas as áreas”, rematou.

(Notícia atualizada às 10h57 com mais informação)

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

TAP permite mudar reservas sem custos por causa da nova variante

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião