Governo suspende voos de e para Moçambique a partir de segunda-feira

A partir das 00h00 de segunda-feira, Portugal deixa de poder receber viajantes vindos de Moçambique. Voos para aquele país ficam também suspensos.

No âmbito das medidas anunciadas esta quinta-feira para controlar a evolução da pandemia, o Governo suspendeu os voos de e para Moçambique a partir da próxima segunda-feira, 29 de novembro. Até lá, há também restrições para quem aterre em Portugal vindo de outros países africanos.

A partir da segunda-feira (na noite de domingo para segunda-feira), todos os voos com partida e destino em Moçambique ficam suspensos por decisão do Governo português, refere um comunicado enviado esta sexta-feira pelo Ministério da Administração Interna.

Mas, durante o fim de semana, há mais restrições. A partir da meia-noite deste sábado (na noite de sexta-feira para sábado), “todos os passageiros de voos oriundos de Moçambique (assim como da África do Sul, Botsuana, Essuatíni, Lesoto, Namíbia e Zimbabué) ficam obrigados a cumprir uma quarentena de 14 dias após a entrada em Portugal continental, no domicílio ou em local indicado pelas autoridades de saúde”.

Esta obrigatoriedade de cumprir quarentena aplica-se ainda aos cidadãos que “tenham saído de algum daqueles sete países nos 14 dias anteriores à sua chegada a Portugal”, lê-se no documento.

Estas medidas são tomadas de forma a controlar a evolução da pandemia, numa altura em que foi descoberta uma nova variante do vírus oriunda da África do Sul. Foi chamada de Omicron e classificada como uma “variante preocupante” pela Organização Mundial de Saúde (OMS), pelo facto de ter mais de três dezenas de mutações na proteína “spike”, que influencia a transmissibilidade e a reação às vacinas.

Esta segunda-feira foi notícia de que a Omicron já chegou à Europa, depois de ter sido registado um caso desta nova variante na Bélgica. Mesmo assim a OMS recomendou aos países não imporem restrições a viajantes vindos da África Austral enquanto se recolhem mais dados.

Esta manhã, o primeiro-ministro afirmou que Moçambique e Angola estavam fora da lista de Bruxelas para restringir voos, referindo que Portugal tem estado em contacto com os países africanos com quem tem “relações mais intensas”. Mas a Comissão Europeia acabou mesmo por suspender todos os voos da África do Sul, Namíbia, Lesoto, Essuatíni, Zimbabué, Moçambique e Botswana.

O Presidente da República afirmou esta tarde que vai manter a viagem que tinha marcada para Angola, afirmando que “não é um país vizinho da África do Sul”.

Relativamente a viagens com partida de outros países, incluindo da Europa, António Costa anunciou esta quinta-feira que os viajantes apenas poderiam entrar em território nacional estando vacinados e apresentando um teste negativo ao novo coronavírus. Mas, de acordo com o Expresso, a Comissão Europeia vai avaliar esta decisão uma vez que, segundo um porta-voz de Bruxelas, “se alguém está vacinado e não vem de uma Zona Vermelho Escuro, não deveria ser obrigado a apresentar um teste negativo”.

(Notícia atualizada às 20h40 com mais informação)

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Governo suspende voos de e para Moçambique a partir de segunda-feira

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião