Justiça executa pensão, casas e quadros a Salgado para pagar coima de 3,7 milhões

  • ECO
  • 11 Dezembro 2021

Reforma, casas, contas bancárias e quadros: o Ministério Público deu ordem para executar bens de Ricardo Salgado para pagar coima de 3,7 milhões aplicada pelo Banco de Portugal.

O Ministério Público deu ordem para se executarem 3,7 milhões de euros a Ricardo Salgado, medida que inclui a pensão de reforma, moradias, contas bancárias e quadros do ex-presidente do BES, segundo avança o jornal Expresso (acesso pago).

De acordo com o jornal, esta execução visa obter bens para saldar a coima imposta pelo Banco de Portugal numa contraordenação levantada contra o antigo banqueiro cuja decisão já transitou em julgado pelos tribunais.

O processo em causa diz respeito à falsificação das contas da Espírito Santo Internacional (ESI), holding de controlo do Grupo Espírito Santo (com dívida escondida e sobreavaliação de ativos) e a venda de títulos de dívida dessa empresa a clientes do BES quando as contas estavam viciadas.

O Expresso adianta ainda que ordem de execução apanha a maioria dos bens publicamente ligados a Ricardo Salgado já arrestados preventivamente por requerimento do Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP).

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Justiça executa pensão, casas e quadros a Salgado para pagar coima de 3,7 milhões

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião