Inflação e reunião da Fed pressionam Wall Street

Os principais índices norte-americanos arrancaram a sessão desta terça-feira no "vermelho", com a trajetória da inflação a preocupar os investidores, que estão de olho na reunião da Fed.

Os mercados norte-americanos arrancaram a segunda sessão da semana em “terreno negativo“, com os investidores expectantes quanto aos resultados da reunião da Reserva Federal dos Estados Unidos, que serão conhecidos na quarta-feira. A pressionar Wall Street está também a evolução do Índice de Preços no Consumidor: os números da variação anual registada em novembro foram divulgados esta terça-feira e refletem um aumento da inflação acima do esperado.

O S&P 500 arrancou a cair 0,56%, para 4.642,99 pontos. Também no “vermelho”, o industrial Dow Jones recua 0,13%, para 35.605,73 pontos, e o tecnológico Nasdaq perde 1,28%, para 15.215,96 pontos.

A Fed tem reunião marcada para esta quarta-feira, estando os investidores expectantes, uma vez que, face à trajetória da inflação e aos números do desemprego, o banco central deverá comentar a trajetória das taxas de juro para o próximo ano e o ritmo da redução da compra de títulos.

Aliás, esta terça-feira foram divulgados os dados do Índice de Preços no Consumidor relativos à variação anual registada em novembro e mostram um aumento acima do esperado — em causa está uma subida de 9,6%, o acréscimo mais expressivo desde finais de 2010 –, receando os investidores que isso possa vir a ser sinónimo de uma retirada mais célere dos estímulos do que a esperada.

Além disso, a contribuir para o sentimento negativo desta sessão está a propagação da nova variante de coronavírus, a Ómicron, estando os investidores preocupados com o seu potencial impacto na recuperação da economia.

Esta terça-feira, destaque para a Apple, cujas ações sobem 0,99%, para 177,48 dólares, depois de terem recuado mais de 2%, no início da semana. A gigante da maçã aproxima-se assim, passo a passo, da capitalização bolsita de três biliões de dólares, marca nunca antes alcançada por uma empresa cotada.

Na tecnologia, mas do outro lado da linha de água, os títulos da Meta Platforms (holding do Facebook) desvalorizam 0,31%, para 333,45 dólares; os da Microsoft perdem 1,81%, para 333,24 dólares; os da Tesla recuam 2,71%, para 940,27 dólares; os da Alphabet caem 1,18%, para 2.899,39 dólares; e os da Amazon descem 1,33%, para 3.346,41 dólares.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Inflação e reunião da Fed pressionam Wall Street

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião