Maioria dos salários perde poder de compra em 2022

  • ECO
  • 28 Dezembro 2021

Ganho médio mensal cresceu 7,7%, mas caiu 1% até setembro deste ano. Com a inflação a crescer para 2,6% em novembro, maioria dos salários vai sentir perda do poder de compra.

Os trabalhadores que recebem o salário mínimo nacional terão metade do aumento do próximo ano anulado devido à inflação, que em novembro atingiu os 2,6%. De acordo com o Jornal de Notícias (acesso pago), os restantes trabalhadores vão sentir perda de poder de compra, uma vez que o aumento dos salários médios será igual à inflação e o ganho médio recuou 1% até setembro.

O salário mínimo aumentou quase 11% nos últimos três anos e, em 2022, sobe ainda mais: 6% para 705 euros. Mas, desde 2019, os restantes salários poucos subiram. O rendimento médio base subiu 3,4%, enquanto o ganho médio mensal cresceu 7,7%, mas caiu 1% até setembro deste ano.

Ao Jornal de Notícias ouviu vários economistas que se dividem entre considerar que há margem para aumentar salários, sem gerar desequilíbrios económicos, ou que as empresas não têm capacidade tendo em conta a carga fiscal e o aumento dos custos de produção.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Maioria dos salários perde poder de compra em 2022

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião