Criação de empresas em 2021 fica 16% abaixo do nível pré-pandemia

  • Filipe Maria
  • 5 Janeiro 2022

Foram criadas 41.656 novas empresas em Portugal no ano passado, menos 16% do que em 2019. Barómetro destaca empreendedorismo no retalho online, com crescimento acumulado de 58% em três anos.

Em 2021 foram criadas 41.656 novas empresas, o que significa um crescimento de 9,6% em relação ao ano anterior, mas que fica ainda 16% abaixo do registado no ano anterior ao surgimento da pandemia. Ainda assim, o ano terminou com uma evolução trimestral próxima à verificada em 2019.

Os dados divulgados esta quarta-feira pela Informa D&B mostram que os únicos setores de atividade com números superiores aos de 2019, ao nível do empreendedorismo, foram o imobiliário e as tecnologias de informação e comunicação (TIC), além da rubrica que inclui a agricultura e outros recursos naturais.

No imobiliário surgiram 5.316 novas empresas, um crescimento de 5,4% face a 2019 (31,8% vs. 2020), mas que teve como exceções Lisboa, Porto e Coimbra. Já na área tecnológica, o crescimento foi de 3,4% em comparação com 2019 e de 20,1% face a 2020. Em números absolutos, o subsetor da Informática teve o maior crescimento, com destaque para os distritos do Porto, Funchal e Santarém.

Outro destaque (+59%) nos últimos três anos é o retalho online, que ganhou 389 novas empresas em 2019, 570 em 2020 e 615 em 2021. Três em cada quatro são empresas jovens, com mais de metade a registar um crescimento agregado de 82% no ano do surgimento da pandemia — superior ao normalmente registado em empresas da mesma idade. Em função deste aumento, o número de novas empresas de distribuição aumentou 18,5% face a 2019 e 44% contra 2020.

Por outro lado, o barómetro publicado esta manhã pela Informa D&B, liderada por Teresa Cardoso de Menezes, evidencia que as áreas dos Transportes (-55%), do Alojamento e Restauração (-27%) e dos Serviços Gerais (-26%) continuam a registar quebras em comparação com 2019 no referencial das empresas criadas.

Finalmente, os encerramentos e as insolvências mantiveram-se em níveis inferiores a 2019. Em 2021 encerraram menos 27,5% empresas do que há dois anos (-13,6% face a 2020), sendo que apenas o setor da Construção viu mais empresas fechar em 2021 do que no ano anterior. No que diz respeito às insolvências, no ano que terminou houve uma descida de 11,3% em relação ao nível pré-pandemia (-14,1% contra 2020). As exceções foram o Alojamento e Restauração e os Serviços Gerais com um aumento de 90 e de 31 novos processos, respetivamente.

 

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Criação de empresas em 2021 fica 16% abaixo do nível pré-pandemia

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião