Do HR manager ao técnico de payroll, conheça os perfis mais procurados em RH este ano. E os seus saláriospremium

O técnico de payroll junta-se aos perfis de RH mais solicitados, podendo atingir, em alguns casos, um salário anual de 35.000 euros, mais 5.500 euros do que o valor apurado no ano anterior.

A pandemia surgiu que nem um tsunami, deixando as empresas e os departamentos de gestão de pessoas praticamente "debaixo de água" e, quando finalmente vieram à tona, já não eram os mesmos. E com novas necessidades em termos de perfis. Especialistas em compensação e benefícios são os profissionais de gestão de pessoas mais solicitados este ano, seguindo HR manager, HR business partner e recruiter. Este ano deverá manter-se "alguns incrementos na componente salarial e de melhoria dos restantes benefícios" nos profissionais de RH, destaca o Guia do Mercado Laboral 2022", elaborado pela Hays. Ainda assim há menos profissionais interessados em mudar de empresa.

Em 2021, embora as movimentações de profissionais entre empresas se tenham mantido estáveis, houve áreas que se destacaram. É o caso do segmento de compensação e benefícios, onde a procura por profissionais aumentou significativamente, bem como pela função de técnico de payroll. Além disso, tentando contrariar aquele que muitos gestores de pessoas antecipam como o grande desafio de 2022 -- a atração e retenção de talento --, a procura por HR managers e pela função de recruiter aumentou significativamente. A par da procura, também as médias salariais destes perfis cresceram, revela a análise do mercado de trabalho da Hays.

Para 2022, a Hays fala de uma "dinâmica positiva" no que toca ao recrumento/procura por profissionais de RH. E explica porquê. "A tendência de investimento no tecido empresarial português será para continuar. Com estes investimentos surgem novas unidades industriais assim como centros de serviços partilhados, que irão aumentar a necessidade de se desenvolverem melhores estratégias para atrair e reter profissionais. Por isso, será necessário recrutar profissionais capazes de atrair e reter capital humano, assim como trabalhar as estratégias e políticas de recursos humanos", refere o estudo da Hays.

Mais, "num mercado bastante competitivo será também importante as empresas desenvolverem políticas de compensações e benefícios em linha com as principais tendências. Os especialistas em compensação e benefícios serão, por isso, dos especialistas mais solicitados em 2022", refere a recrutadora. Mas, também, ressalva a Hays, será o perfil mais difícil de identificar.

"Menos procura haverá pelo técnico de formação, função muitas vezes assegurada por outro elemento dentro do departamento", justifica a Hays.

Perfis mais solicitados:

  • HR manager
  • Recruiter
  • HR business partners
  • Técnico de payroll

Perfil menos procurado:

  • Assistente de recursos humanos

Perfil mais difícil de identificar:

  • Especialista em compensações e benefícios

Salários aumentam ligeiramente. Destaque para Lisboa

O "Guia do Mercado Laboral 2022" destaca ainda outra tendência neste setor: uma maior necessidade por parte das empresas em atualizar as suas práticas salariais. De facto, comparando as médias salariais que constam deste guia com as divulgadas no documento anterior, várias funções veem aumentos nos rendimentos, sobretudo se desempenhadas em Lisboa.

"Em 2022, deverá manter-se a tendência de alguns incrementos na componente salarial e de melhoria dos restantes benefícios. Surgem também, cada vez mais, benefícios como plano de pensões e flexibilidade do modelo de trabalho", antecipa.

No caso do recrutador, um profissional com entre cinco a dez anos de experiência e que trabalhem em Lisboa recebe um salário anual entre 22.400 e 28.000 euros, um aumento de 3.800 euros relativamente ao ano anterior. Se o mesmo profissional trabalhar no Porto, esse aumento será apenas de 500 euros, evidenciando as discrepâncias geográficas que persistem.

Já no caso do técnico de payroll, também uma das funções mais procuradas, o maior aumento salarial é para os profissionais que trabalhem em Lisboa, e que tenham mais de dez anos de experiência. Para estes, o salário máximo passou de 29.500 para 35.000 euros. No Porto esse aumento seria, mais uma vez, de 500 euros.

Já as funções de HR business partner e HR manager mantiveram, de forma geral, as remunerações médias praticadas.

Veja aqui a tabela completa das médias salariais de perfis de recursos humanos:

Fonte: Hays

Ao nível da compensação, a oferta salarial -- que, no "Guia do Mercado Laboral 2021", foi apontada como o fator que os profissionais mais valorizam num potencial empregador, por 88% dos inquiridos -- cai agora para o terceiro lugar (81%), ultrapassada pelo bom ambiente de trabalho (88%) e pelo work-life balance (83%). Segue-se, ainda, a cultura empresarial (70%) e os benefícios (63%). E neste campo, flexibilidade de horários (84%), seguro de saúde (81%), teletrabalho (80%), formação/certificações (64%) e dias de férias extra (55%) são os benefícios mais desejados.

De salientar ainda que a Hays antecipa uma queda nas intenções de mudança de emprego, de 83% (em 2021) para 70% (em 2022). Um dado que vai ao encontro do aumento de profissionais que recusaram ofertas de emprego em 2021 (48%), valor que compara com os 27% que recusaram novas oportunidades laborais em 2020.

Assine para ler este artigo

Aceda às notícias premium do ECO. Torne-se assinante.
A partir de
5€
Veja todos os planos