Dois anos depois, Portugal Ventures volta a ter presidente

Rui Ferreira sobe à presidência da capital de risco pública, ocupando um lugar vago desde a saída de Rita Marques para o Governo. Teresa Fiúza, ex-diretora do BES, é recrutada no Montepio.

Dois anos depois da saída de Rita Marques para secretária de Estado do Turismo, no início do segundo governo liderado por António Costa, a Portugal Ventures (PV) volta a ter um presidente em funções. A engenheira eletrotécnica que em abril de 2018 sucedera a Celso Guedes de Carvalho na liderança da capital de risco pública, tem como sucessor Rui Ferreira, confirmou ao ECO fonte oficial.

O novo conselho de administração entrou em funções no início deste ano, na sequência da nomeação por parte da assembleia geral de acionistas e é composto por três elementos. Além de Rui Ferreira, que era até agora vice-presidente executivo, Pedro de Mello Breyner mantém-se como vogal neste novo ciclo, que se estende até ao final de 2013. Outra novidade é a entrada de Teresa Fiúza para vice-presidente da PV, que em 2021 investiu quase 13 milhões de euros em 70 empresas.

Rui Ferreira (presidente), Teresa Fiúza (vice-presidente) e Pedro de Mello Breyner (vogal) compõem a nova administração da Portugal Ventures

Licenciada em Organização e Gestão de Empresas pelo ISCTE e com MBA com especialização em Marketing pela Católica Lisbon, a gestora de 49 anos estava até agora no Montepio, onde nos últimos quatro anos integrou a comissão de acompanhamento do fundo de pensões. Experiente nas áreas de banca e crédito especializado, foi diretora do Banco Espírito Santo até à queda de Ricardo Salgado e à resolução da instituição financeira, em 2014.

Numa mensagem dirigida aos stakeholders, publicada numa newsletter a que o ECO teve acesso, os novos administradores afirmam estar “conscientes dos desafios que [os] esperam nos próximos dois anos na condução dos destinos da sociedade” que agora pertence ao Grupo Banco Português de Fomento e que em 2022 completa dez anos de existência.

"Estamos conscientes dos desafios que nos esperam nos próximos dois anos na condução dos destinos da sociedade.”

Rui Ferreira, Teresa Fiúza e Pedro de Mello Breyner

Administradores da Portugal Ventures

Desde 2012, a Portugal Ventures calcula já ter investido 171 milhões de euros em mais de 180 novas empresas. Tem atualmente sob gestão 184 milhões de euros e mais de 140 empresas no portefólio. Investe em startups que criam soluções inovadoras, com capacidade de internacionalização, nas áreas de Digital, Engenharia & Indústria, Ciências da Vida e Turismo, nas fases pre-seed, seed e series A.

“O novo Conselho de Administração, que agora inicia funções, assume o compromisso, no arranque de um novo ciclo da vida da Portugal Ventures, de continuar a trabalhar lado a lado com as empresas do nosso portefólio, com as suas equipas, os nossos parceiros, no sentido de contribuir para o fortalecimento do empreendedorismo e da economia portuguesa”, acrescenta a missiva assinada por Rui Ferreira, Teresa Fiúza e Pedro de Mello Breyner.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Dois anos depois, Portugal Ventures volta a ter presidente

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião