Diário de campanha: A brincadeira de Rui Rio e a viagem de Costa na Ryanair

  • Tiago Lopes
  • 17 Janeiro 2022

A campanha para as legislativas arrancou este fim de semana com muita polémica à mistura. Rui Rio é o protagonista deste primeiro "Diário de campanha nas redes".

Com o avançar da pandemia, os partidos políticos tiveram de se adaptar a uma campanha eleitoral mais digital. O ECO vai resumir diariamente, até às eleições, tudo o que de mais importante foi dito pelos principais intervenientes na corrida às legislativas.

A “brincadeira” de Rio no Twitter

Tudo começou depois de Rui Rio escrever no Twitter que António Costa tinha arranjado “uma forma airosa de evitar ter de fazer o que sabe que não é bom para Portugal; ter de votar nele próprio”. A publicação do líder do PSD surgiu no seguimento de uma notícia que dava conta de que o adversário socialista se tinha inscrito para votar antecipadamente no Porto no dia 23 de janeiro (Rui Rio nasceu no Porto e foi presidente da Câmara).

António Costa não demorou a reagir e, em declarações aos jornalistas, nos Açores, disse que “Rui Rio tinha obrigação de saber o que era o voto antecipado”. “Se resolveu disfarçar o seu desconhecimento como tendo sido uma graçola, pronto, é uma graçola. Mas enfim, eu não creio que propriamente um político afirme a sua credibilidade com graçolas. Eu acho que a nossa credibilidade afirma-se procurando responder com seriedade aos problemas do país”, criticou.

Rui Rio não desistiu e voltou ao Twitter para reagir à reação de Costa. “Que mau humor”, escreveu.

O presidente do PSD ainda tentou justificar a intervenção, garantindo que se tratou de uma “brincadeira”, mas a verdade é que o comentário inicial motivou um coro de críticas do próprio PS, mas também de vários elementos do Bloco de Esquerda.

O socialista Pedro Delgado Alves respondeu de imediato à publicação de Rio, onde aproveitou para esclarecer que “António Costa vai votar para o círculo de Lisboa, onde está recenseado”.

A secretária de Estado da Administração Interna, Patrícia Gaspar, pediu “seriedade e responsabilidade” nos comentários em torno do assunto. “Podemos rir dos disparates, da ignorância, do topete e até do atrevimento… Mas a situação é séria.”

O Bloco de Esquerda acusou Rui Rio de desconhecer a lei eleitoral. “E diz Rui Rio que andou anos a preparar-se para ser primeiro-ministro! Devia ter começado por ler a lei eleitoral, poupava-se a esta figura ridícula”, escreveu Pedro Filipe Soares.

De uma forma mais pedagógica, o socialista Porfírio Silva explicou que “não é assim que funciona”. “É só para informar que me inscrevi no voto antecipado em Aveiro para poder votar em mim. Ah, não, não é assim que funciona -. mas isso já o Sr. deve ter percebido ao longo do dia. Não é todos os dias que se aprende alguma coisa de borla…”, ironizou.

Mariana Mortágua também dedicou um post a comentar o tema: “O voto antecipado é em urna e não vale menos do que o voto no dia 30. Não é meio voto nem voto a três quartos. O que é desnatada é a visão de democracia dos candidatos a PM [primeiro-ministro] que o tentam desvalorizar, sabendo que no dia 30 teremos parte da população isolada.”

André Ventura juntou-se à conversa com uma mensagem mais em linha com o de Rui Rio. Só não motivou tantas críticas.

Rio, ‘round two

Depois de um arranque de campanha atribulado, Rui Rio voltou ao ataque esta segunda-feira e, agora, o alvo foi o ministro das Infraestruturas Pedro Nuno Santos, que recentemente respondeu no Twitter à posição do líder do PSD sobre o dossiê da TAP.

“A solução de Rio é que a TAP, empresa com 50% de capital público, ‘enfiasse’ um calote aos credores, incluindo empresas portuguesas e cidadãos nacionais que tinham obrigações. Um homem que pensa assim não pode ser” primeiro-ministro, escreveu Pedro Nuno Santos.

Agora, Rui Rio vem recordar declarações com mais de dez anos do ministro das Infraestruturas, que terá afirmado: “A primeira responsabilidade de um primeiro-ministro é tratar do seu povo. Na situação em nós vivemos, estou-me marimbando para os credores e não tenho qualquer problema, enquanto político e deputado, de o dizer.”

Costa vooa em campanha para os Açores na… Ryanair

A notícia que deu conta que António Costa, ironicamente, viu-se obrigado a viajar para os Açores a bordo da Ryanair motivou um rol de comentários nas redes sociais.

João Cotrim Figueiredo, presidente da Iniciativa Liberal (IL), foi um dos primeiros a comentar o tema. “Costa voou na Ryanair para os Açores e não numa companhia pública. A desculpa é que de manhã não havia voo na TAP (nem SATA). Costa, na prática, a dar razão à IL quando diz que a TAP não assegura coesão territorial alguma”, escreveu o responsável no Twitter.

Também o social-democrata Duarte Marques comentou a referida notícia: “Felizmente, no tempo [do] Governo PSD, liberalizou-se o espaço aéreo nos Açores. De outro modo, o Dr. António Costa não teria conseguido ir na Ryanair, como foi esta manhã, a preços mais baixos do que os da TAP.”

O “Diário de campanha nas redes” é uma rubrica diária sobre os acontecimentos que estão a marcar a campanha eleitoral nas redes sociais.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Diário de campanha: A brincadeira de Rui Rio e a viagem de Costa na Ryanair

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião