Lisboa “no vermelho” pressionada por BCP e família EDP

Bolsa nacional segue em terreno negativo, com BCP a perder mais de 1%. Família EDP também pressiona principal índice português, enquanto a Galp Energia trava uma descida maior.

A bolsa nacional abriu “no vermelho”, com a maioria das cotadas em queda. Em destaque no arranque da sessão estão as ações do BCP, que perdem 1%, em linha com o desempenho observado na sessão anterior. Mas a família EDP também está a pressionar o desempenho do principal índice português. Enquanto isso, a Galp Energia está a travar uma descida mais acentuada. Lisboa acompanha, assim, a tendência de perdas do resto da Europa.

O PSI-20 cai 0,11%, para 5.628,52 pontos, com apenas quatro cotadas em terreno positivo. A contribuir para este desempenho está o BCP, que cai 1,2% para 0,1645 euros, acompanhado pelas cotadas da família EDP. A EDP recua 0,18%, para 4,478 euros, e a EDP Renováveis desliza 1,4%, para 19,01 euros. No mesmo setor, a GreenVolt recua 0,49%, para 6,07 euros.

O setor do papel também negoceia em baixa esta terça-feira, com a Navigator a cair 0,6%, para 3,296 euros, e a Altri a recuar 1,33%, para 5,55 euros. A operadora de telecomunicações Nos recua 0,29%, para 3,39 euros, enquanto os CTT perdem 0,57%, para 4,355 euros.

Por outro lado, a travar uma descida mais acentuada do índice estão as ações da Galp Energia, que ganham 1,28%, para 9,952 euros, representando a maior subida desta sessão. Destaque ainda para a Jerónimo Martins, que cresce 0,66%, para 21,34 euros, e para a REN, que ganha 0,4%, para 2,53 euros.

Lisboa acompanha, assim, a tendência de perdas do Velho Continente, num dia em que o índice de referência europeu Stoxx 600 desliza 0,29%, para 479,76 pontos. O mesmo acontece com outros índices, como o espanhol IBEX-35 e o francês CAC-40, que perdem 0,46% e 0,94%, respetivamente.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Lisboa “no vermelho” pressionada por BCP e família EDP

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião